Agência da ONU destina US$ 750 mil para atender vítimas de furacões na América Central

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Uma agência das Nações Unidas está intensificando ações de resposta às vítimas de dois furacões que atravessam a América Central num espaço de apenas duas semanas deixando milhares de pessoas desabrigadas.

Com o apoio de parceiros e doadores, a Organização Internacional para Migrações (OIM), informou que alocou US$ 750 mil para ajuda humanitária e de reconstrução em Honduras, Guatemala e El Salvador.

Eta e Iota
O dinheiro servirá para compra de kits de higiene, equipamento de proteção, alimentos, material de limpeza e outros itens para as pessoas afetadas.

Em apenas duas semanas, os furacões Eta e Iota atravessaram a região da América Central causando mortes e desalojamentos por fortes chuvas e deslizamentos de terra.

A diretora-regional da OIM para América Central, América do Norte e Caribe, Michele Klein-Solomon, lembrou que a reconstrução levará anos, e que a assistência deve ser sustentada e duradoura.

Segundo ela, ambos os furacões transformaram, repentinamente, a vida de milhões de pessoas na América Central, no México e no Caribe, o que deverá ter um efeito em movimentos migratórios no futuro.

Guatemala
A OIM na Guatemala afirma que mais de 17,3 mil pessoas estão em 132 abrigos temporários preparados durante a emergência em vários departamentos do país.

O chefe da agência em El Salvador, Honduras e Guatemala, Jorge Peraza, disse que o desastre natural mostrou que é preciso agir de forma coordenada para dar uma resposta eficiente a esses desafios.

Ele lembrou que essas condições climáticas geram deslocamentos forçados.

México
Uma das preocupações é com a pandemia da Covid-19 e as condições de higiene dos abrigos. O Escritório da ONU para Assistência Humanitária, Ocha, informou que em Honduras, o número de abrigados já ultrapassou 75 mil.

Na costa caribenha da Nicarágua, Bilwi, a agência está coordenando com organizações femininas o acesso a mulheres e crianças que foram evacuadas durante a passagem dos furacões.

No sul do México, a Proteção Civil afirmou que quase 297 mil pessoas foram atingidas e pelo menos 30 morreram. A OIM está apoiando dois abrigos no estado de Chiapas, onde distribui água potável e conserta telhados atingidos pelas tempestades. Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!