Sistema Prisional mineiro retoma cursos profissionalizantes pós-pandemia

Nesta semana foi realizada a aula inaugural do curso de microempreendedor individual do Programa Novos Caminhos, no Centro de Ressocialização e Pré-Soltura de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Até o final de 2023, serão capacitados cerca de 2.400 presos, em unidades prisionais das diversas regiões do estado. Dentre os cursos de formação profissional destacam-se os de pedreiro, eletricista e padeiro.

As verbas são originárias do Departamento Penitenciário Nacional e o programa é conduzido pelo Ministério de Educação, no qual são oferecidos cursos com foco nas demandas do mercado de trabalho e em profissões do futuro.

Para a superintendente de Humanização do Atendimento do Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG), Alice Loyola Nery, a oferta destes cursos faz parte da missão da instituição, que é custodiar e ressocializar. “A profissionalização, por meio destas capacitações, é uma forma de proporcionar empregabilidade após a soltura. São atividades de trabalho normalmente bastante requisitadas na sociedade”, ressalta a superintendente.

O curso de microempreendedor tem 160 horas/aula, sendo dividido em dois módulos. O primeiro trata do projeto de vida, que recentemente ficou conhecido na reforma do Novo Ensino Médio. Neste módulo, são desenvolvidos com os alunos os aspectos pessoais, sociais e profissionais. Já no segundo, são trabalhadas disciplinas específicas voltadas para o empreendedorismo, como atendimento ao cliente, contabilidade e logística. Com Agência Minas

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!