Movimentação no comércio paulistano caiu quase 12% na primeira quinzena de março

A movimentação no varejo da capital paulista caiu 11,9% em relação à primeira quinzena do mês passado, de acordo com os dados do Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

“Há fatores na economia que influenciaram para essa queda como, por exemplo, a perda do poder aquisitivo das famílias, por conta do aumento da inflação e o alto nível do desemprego”, afirmou Ulisses Ruiz de Gamboa, economista da ACSP. “Tem ainda a elevada taxa de juros que prejudica o crediário e encarece os financiamentos, inibindo as compras”, emendou.

Embora a inflação seja preocupante, o economista da ACSP ainda vê a possibilidade de as vendas se recuperarem porque os programas do governo devem ajudar na recuperação do poder aquisitivo dos paulistanos. ”A tendência de queda, em 2022, ainda pode ser revertida, na medida em que recursos do Saque do FGTS e da antecipação do 13° do INSS serão liberados para o trabalhador, a partir de abril, injetando quase R$ 90 bilhões para o consumo.”

Em relação a março de 2021, o Balanço de Vendas da ACSP aponta que houve crescimento de 15,2% na primeira quinzena desse mês, devido, fundamentalmente, à menor base de comparação por causa das restrições que impediram o pleno funcionamento do comércio, no ano passado. Com informações da Assessoria de Imprensa da Associação Comercial de São Paulo

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!