Análises em esgotos aponta aumento “exacerbado” de infectados em BH e Contagem

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O Boletim de Acompanhamento nº 24, do projeto-piloto Monitoramento COVID Esgotos, aponta “aumento generalizado” na detecção do novo coronavírus na mais recente semana de estudo nas regiões pesquisadas, que recebem esgotos das cidades de Belo Horizonte e Contagem (Minas Gerais). Em Belo Horizonte, a população total infectada estimada alcançou cerca de 600 mil pessoas, ante 500 mil há uma semana. Em Contagem, a população infectada estimada mais que dobrou em relação às duas semanas anteriores, chegando a cerca de 300 mil pessoas.

“Este cenário reflete o aumento da circulação do vírus em Belo Horizonte e aponta fortes indícios para novo agravamento da pandemia na capital. Ressalta-se, então, a importância do fortalecimento de medidas de prevenção e controle para redução da disseminação do vírus no município”, afirmam os pesquisadores.

O projeto-piloto é uma iniciativa conjunta da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto (INCT ETEs Sustentáveis/UFMG), em parceria com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA), o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM) e a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

Segundo os pesquisadores, na bacia do Arrudas, o aumento da carga viral detectada nos esgotos foi “acentuada” em cinco das sub-bacias pesquisadas e em outras sub-bacias eles destacam os aumentos consecutivos nas últimas seis semanas de estudo. Na bacia do Onça, em sete pontos de coleta foram observados “aumentos exacerbados dos percentuais de população infectada”. Com informações da Assessoria de Comunicação Social da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico

PUBLICIDADE
Don`t copy text!