ONU debate incentivos para cumprimento da ação climática

As Nações Unidas juntam chefes de Estado e de governo entre mais de 70 oradores na Reunião de Alto Nível da Presidência da Assembleia Geral sobre o Cumprimento da Ação Climática para as Pessoas, o Planeta e a Prosperidade.

Entre os líderes que discursam nesta terça-feira (26) estão o presidente de Palau, Surangel Whipps Jr., os chefes de Estado da Tanzânia, Samia Suluhu Hassan, das Maldivas, Ibrahim Solih, e a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Arden.

Acordo de Paris
O presidente da Assembleia Geral, Abdulla Shahid, e o secretário-geral da ONU, António Guterres, estarão fisicamente na reunião convocada para apresentar soluções para superar a lacuna de financiamento.

Outra meta é refletir sobre a capacidade tecnológica e técnica para implementar o Acordo de Paris sobre a mudança climática.

Estes temas veem sendo abordados de forma persistente, em vários níveis, às vésperas da Cúpula do Clima, COP-26, agendada para finais de outubro em Glasgow, na Escócia.

Falando do evento, Shahid disse que o mundo tem produzido tecnologias de energia renovável e outras verdes em uma velocidade e escala incríveis. Mas recordou que em um custo menor que o dos combustíveis fósseis, a transição para as energias renováveis agora é inevitável.

US$ 100 bilhões
O presidente do órgão deliberativo da ONU destaca ainda a necessidade de incentivar às economias desenvolvidas para que “honrem e superem seus compromissos de fornecer US$ 100 bilhões por ano em financiamento climático.”

Abdulla Shahid disse estar claro que já há ferramentas disponíveis, como ciência, a capacidade e o dinheiro. Ele defende que a necessidade agora é criar vontade para acabar com a crise climática destacando que a única coisa que impede de parar esta crise são os próprios países.

A ação climática é um dos pilares da presente presidência da Assembleia Geral juntamente com o a apoio à necessidade de garantir a equidade e vacinação na pandemia, uma rápida recuperação depois da crise, garantia de direitos humanos continuação da reforma e revitalização da ONU.

Aquecimento
O evento de um dia terá painéis de discussão para refletir a direção do compromisso global, o foco de diferentes partes interessadas em manter o alvo de 1,5 grau Celsius de aquecimento até o final do século e cobrir as diferenças sobre vulnerabilidade e resiliência.

Com contribuições esperadas do setor privado e sociedade civil, a expetativa é que a reunião contribua para promover compromissos mais ambiciosos antes da COP-26, incentivando o mundo em torno da meta global. Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!