OMS diz que 90% de mortes por afogamento ocorrem em países de baixa e média rendas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o afogamento é uma das principais causas de morte entre crianças e jovens de 1 a 24 anos. Todos os anos, cerca de 236 mil pessoas morrem afogadas, de acordo com os dados da agência.

A OMS aponta que mais de 90% das mortes por afogamento ocorrem em países de baixa e média rendas, sendo as crianças menores de cinco anos de maior risco.

Dia Mundial de Prevenção ao Afogamento
Ontem (25), foi lembrado o Dia Mundial de Prevenção ao Afogamento, e a agência divulgou dados e recomendações sobre os cuidados que ajudam a evitar acidentes.

Os casos estão frequentemente ligados a atividades rotineiras, como tomar banho, recolher água para uso doméstico, ou viajar em barcos e pescar.

Os impactos de eventos climáticos sazonais ou extremos também são uma causa frequente de afogamento. Segundo a agência, esses impactos são amplamente evitáveis por meio de várias medidas disponíveis.

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, afirma a prevenção desses óbitos pode ser feita por meio da adoção de soluções baseadas em evidências e de baixo custo.

Ele lembra que cidades do mundo todo vão iluminar monumentos em azul como um chamado à ação para que cada um faça sua parte para evitar afogamentos.

A OMS recomenda seis medidas baseadas em evidências para prevenir o afogamento: instalação de barreiras que controlam o acesso à água, treinamento em resgate e reanimação, ensinar crianças em idade escolar habilidades básicas de natação e segurança na água, prestação de cuidados diurnos para crianças, estabelecer e fazer cumprir regulamentos no transporte aquático, bem como melhorar a gestão do risco de inundação.

Ações para evitar afogamento
Este ano, o tema do Dia Mundial de Prevenção do Afogamento pede o apoio comunidade global em ações contra afogamento. Confira as recomendações da OMS:
Compartilhar dicas sobre prevenção de afogamento e segurança na água entre famílias, amigos e colegas;
Inscrever-se em aulas de natação ou segurança na água ou apoiar instituições e grupos locais de prevenção de afogamento.
Organizar eventos públicos para compartilhar informações sobre segurança hídrica, lançar campanhas de segurança hídrica
Comprometer-se a desenvolver ou entregar novos programas de prevenção de afogamento usando as melhores práticas recomendadas.
Governos podem desenvolver ou anunciar novas políticas, estratégias, legislação ou investimento de prevenção de afogamento
Autoridades ainda podem convocar mesas redondas multissetoriais ou discussões parlamentares sobre soluções de afogamento
Implementar programas de prevenção de afogamento nacional ou internacionalmente

Segundo a OMS, muitos países se comprometeram com programas de prevenção de afogamento.

Por exemplo, Bangladesh iniciou uma iniciativa de três anos para reduzir o afogamento entre crianças em todo o país.

Como parte do projeto, o governo assumirá as 2,5 mil creches estabelecidas e financiadas pela Bloomberg Philanthropies, que apoia a iniciativa da OMS, e expandirá o programa adicionando mais 5,5 mil creches para atender 200 mil crianças de 1 a 5 anos. Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!