Suspeito de divulgar imagens de nudez da filha é preso na região de Pará de Minas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em apoio à Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO), prendeu, nesta terça-feira (26), um homem, de 39 anos, suspeito de produzir e divulgar em uma rede social imagens íntimas da própria filha, de 6. O investigado foi localizado em uma cidade no Centro-Oeste mineiro. O celular dele e um caderno da vítima foram apreendidos.

De acordo com a titular da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos da PCGO, delegada Sabrina Leves de Lima, as investigações começaram a partir do recebimento de denúncia de uma testemunha, com informações de que um homem estaria transmitindo imagens de uma criança nua em um aplicativo de celular. Além disso, estaria exibindo a prática de atos libidinosos na vítima, conforme os usuários solicitavam, em troca de criptomoedas, que posteriormente poderiam ser convertidas em real. Com a denúncia, ainda foram apresentados trechos de vídeos produzidos pelo investigado.

Após as apurações realizadas pela PCGO, a investigação foi encaminhada à PCMG, que representou judicialmente pela prisão do investigado e pela busca e apreensão domiciliar. “Questionado sobre os fatos, o pai da criança confessou a autoria dos vídeos. Ao final do inquérito, ele poderá ser indiciado pelos crimes de estupro de vulnerável e satisfação de lascívia mediante presença de criança”, informa o delegado Douglas Barcelos, responsável pelas investigações na Delegacia Regional em Pará de Minas.

Conforme apurado, suspeito e vítima são moradores de uma pequena cidade do interior de Minas Gerais. Além disso, as informações levantadas pela Polícia Civil de Goiás apontam que o homem possui intenso contato com a filha e ostenta, em sua foto de perfil em um aplicativo, uma imagem na qual ele aparece beijando a boca da menina.

O delegado regional em Pará de Minas, Carlos Henrique Gomes Bueno, destaca o trabalho executado pelas equipes. “A prisão desse investigado só foi possível graças à atuação integrada das polícias civis de Minas Gerais e de Goiás”, pontua. E a delegada Sabrina Leves reforça que o resultado alcançado “foi possível pela atitude corajosa da denunciante e pelo trabalho policial em conjunto, o que certamente resultou no acolhimento da criança”.

As investigações foram realizadas pela Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos da PCGO, com apoio da PCMG em Pará de Minas e Pitangui. Com informações da PCMG

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!