Vadão, ex-técnico da seleção feminina de futebol, morre aos 63 anos

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Aos 63 anos, Oswaldo Fumeiro Alvarez, mais conhecido Vadão, faleceu na tarde de hoje (26), em São Paulo (SP). A causa da morte foi um câncer no fígado, que evoluiu para outros órgãos. Vadão treinou a seleção brasileira feminina de futebol por duas vezes: a primeira de 2014 a 2016 quando as brasileiras disputaram a Olimpíada Rio 2016 – terminando na quarta posição geral – e a segunda delas no ano passado, para a disputa da Copa do Mundo. A equipe foi desclassificada nas oitavas de final, ao perder para as anfitriãs francesas.

No Twitter a CBF lamentou e se despediu do treinador com a mensagem: “Profissional leal, nunca mediu esforços no exercício da função e trouxe resultados fundamentais para a Seleção Feminina. O Futebol Brasileiro agradece sua contribuição!

O treinador teve passagem por grandes clubes brasileiros que prestaram homenagens ao técnico pelas redes sociais. Entre eles, o Corinthians, time que Vadão comandou na temporada de 2000.

A Portuguesa e a Ponte Preta também sem manifestaram, assim como o São Paulo. “Campeão por nossa instituição e com enormes serviços prestados, será eternamente lembrado pelo caráter, pela competência e pelo profissionalismo”, lembrou o tricolor paulista.

A carreira de Vadão no futebol começou na meia-esquerda das categorias de base do Guarani. Ele também jogaria por por Noroeste, Catanduvense e Botafogo-SP. Após se formar em Educação Física, foi preparador da Portuguesa e teve o primeiro trabalho como técnico no Mogi Mirim, ficando conhecido por montar, no início dos anos 90, o Carrossel Caipira.

O corpo de Vadão segue para a cidade natal do treinador, Monte Azul Paulista, onde será velado e sepultado em cerimônia reservada aos amigos mais próximos e familiares. Vadão deixa a esposa e dois filhos. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!