Para prender ativista dissidente, Bielorrússia obriga avião a fazer pouso emergencial

Autoridades da Bielorússia detiveram um ativista dissidente ontem (23), após desviar uma aeronave em que ele estava a bordo e forçá-la a aterrissar na capital Minsk.

Órgãos de imprensa com posicionamento crítico em relação ao presidente Alexander Lukashenko noticiaram que Roman Protasevich foi detido em um aeroporto em Minsk.

A aeronave da Ryanair estava voando da Grécia para a Lituânia.

Já a mídia estatal da Bielorússia afirma que as autoridades instruíram a aeronave a fazer um pouso emergencial em Minsk, citando uma ameaça de atentado a bomba. Entretanto, nenhum explosivo foi encontrado na aeronave.

A líder oposicionista da Bielorússia, Svetlana Tikhanovskaya, condenou o governo de Lukashenko, afirmando que “é óbvio que esta é uma operação feita pelos serviços especiais para sequestrar a aeronave com o intuito de prender o ativista”.

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e a Organização Internacional da Aviação Civil, também expressaram forte preocupação sobre o incidente no Twitter.

Protestos em massa aconteceram na Bielorússia depois que Lukashenko conquistou um sexto mandato na eleição de agosto passado.

Protasevich se exilou da Bielorússia, assim como outros integrantes da oposição, e fundou um órgão de imprensa crítico ao governo de Lukashenko. Com informações da TV NHK do Japão

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!