Investidores anunciam criação de fundo cotado em bolsa sobre emissão zero de carbono

Um fundo sobre a emissão zero de carbono cotado em bolsa será criado nos próximos meses, com outro de financiamentos combinados para oferecer oportunidades de investimento em infraestrutura sustentável.

A informação foi dada esta semana durante reunião anual do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, com a Aliança de Investidores Globais para o Desenvolvimento Sustentável (Gisd).

Melhor investimento
No evento, o chefe da ONU apontou que é responsabilidade dos líderes do setor privado construir um mundo sustentável, zero emissões, resiliente e equitativo para atingir as metas globais.

Entre os objetivos estabelecidos para a iniciativa estão alinhar melhor o investimento com o desenvolvimento sustentável e agir de acordo com os compromissos, calendários, metas e planos confiáveis para esse propósito.

Guterres disse contar com os membros da aliança para mobilizar maiores investimentos para os países em desenvolvimento e fazer com que “zerar emissões e sustentabilidade sejam o centro das políticas e modelos de negócios de todos”.

Uma declaração conjunta do evento destaca que o grupo tem atuado em finanças para o desenvolvimento sustentável criando “diretrizes e produtos que alinham o ecossistema financeiro e de investimento” com as metas globais.

Executivos
Formada em 2019, a aliança que integra diretores-gerentes de 30 grandes empresas globais já definiu padrões e ferramentas para mobilizar trilhões de dólares. O alvo é preencher a lacuna de financiamento necessários para realizar a Agenda 2030 da ONU e garantir a sustentabilidade.

A atuação dos executivos também ajudou na crise da pandemia desenvolvendo uma Chamada à Ação para Covid-19. A iniciativa levou empresas e governos a usar ligações sociais para uma resposta em favor da recuperação econômica sustentável.

Este ano, a Gisd publicou parâmetros para medir com precisão o impacto das empresas no desenvolvimento sustentável, abrangendo inicialmente oito setores.

Desenvolvimento
A copresidente da Aliança Gisd, Leila Fourie, disse que os investidores ganharam percepções importantes para ajudá-los a alinhar seu financiamento com o desenvolvimento sustentável.

Um documento modelo deverá fornecer diferentes opções para definir as relações contratuais entre proprietários e gestores de ativos, incentivando o investimento de longo prazo alinhado com o desenvolvimento sustentável.

O Gisd atua com o Grupo de Trabalho de Finanças Sustentáveis ​​das maiores economias do mundo e com o bureau da Cúpula do Clima, COP-26.

Em colaboração com bancos multilaterais de desenvolvimento, a aliança de investidores tenta fazer “recomendações viáveis ​​sobre maneiras de aumentar o investimento privado para o desenvolvimento sustentável”. Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!