Opas pede reabertura segura das escolas para conter pandemia nas Américas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Em entrevista à ONU News, vice-diretor-geral da Organização Pan-Americana da Saúde, Jarbas Barbosa, citou exemplo de cidades que controlaram a transmissão antes de reenviar os alunos ao colégio.

O retorno de crianças e jovens aos bancos escolares deve se dar de forma segura. Este é o conselho do vice-chefe da Organização Pan-Americana da Saúde, o médico Jarbas Barbosa.

Nessa entrevista de vídeo à ONU News, ele citou algumas cidades da Europa que conseguiram retomar as aulas com as medidas de proteção.

Sociedade
“A educação é fundamental. Não só para as crianças, mas para toda a sociedade. A melhor maneira de ter uma volta às aulas segura é, em primeiro lugar, controlando a transmissão. Cidades da Europa que reabriram as escolas depois de controlada a transmissão fizeram isso de uma maneira bem segura. Enquanto a transmissão está intensa numa cidade, reabrir as escolas pode acelerar essa transmissão e produzir surtos nessas escolas.

Sintomas
Para Jarbas Barbosa, algumas medidas são fundamentais para reabrir as escolas e para manter o funcionamento delas sem qualquer risco aos estudantes e suas famílias. Ele explicou alguns sinais aos quais professores, pais e alunos devem estar atentos.

“Então, primeiro é controlar a transmissão nas cidades, nos estados que querem reabrir e retornar às escolas que é tão importante. Segundo: depois de controlado quando se vai abrir as escolas é importante ter um protocolo bem definido, que todos os pais, os professores, os alunos estejam bem informados. Ninguém deve ir à escola se tem algum sintoma de febre, tosse, espirro, por exemplo. Tem que se oferecer o uso de máscaras para crianças maiores, adolescentes e jovens. A questão da lavagem de mãos frequente, ou seja, distanciamento físico quando é possível. Tomar todas as medidas que podem evitar com que as escolas sejam um foco de um surto.
De maneira que essa volta possa se dar de maneira segura. A educação é muito importante, mas é muito importante que este retorno se dê de maneira segura.”

Risco
Em todo mundo, mais de 1,6 bilhão de crianças e jovens deixaram de ir à escola por causa do risco de contaminação com a pandemia.

Na semana passada, a Unesco divulgou um guia sobre o retorno dos alunos e o que pode ser feito pelos professores para apoiar as crianças.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, informou que até a tarde desta segunda-feira, o mundo tinha mais de 30 milhões de casos de Covid-19 e pelo menos 959 mil mortes. Mais da metade dos casos e de mortes estão na região das Américas. Com ONU News

PUBLICIDADE
Don`t copy text!