COVID-19: parcerias buscam proteção para 70 milhões de pessoas em movimento

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Uma parceria entre a Organização Mundial da Saúde (OMS), e a Agência da ONU para Refugiados (Acnur), ajudará a proteger cerca de 70 milhões de pessoas em movimento da Covid-19.

Esta é a nova aposta do acordo global reforçado na quinta-feira (21), em Genebra, cuja meta é fortalecer e fazer avançar serviços públicos de saúde para pessoas que vivem nessa situação em todo o mundo.

Abrigo
O acordo atualiza e alarga um contrato entre as duas partes, que desde 1997 envolve cerca de 26 milhões de refugiados e 40 milhões de deslocados. Cerca de 80% das pessoas que pedem abrigo vivem em países de baixa e média renda com sistemas de saúde fracos.

Em mais de duas décadas, a parceria protege a saúde desses grupos vulneráveis da população com serviços de saúde e cuidados desde o início de uma emergência até em situações prolongadas vividas pelos refugiados.

Uma das prioridades é promover a inclusão de pessoas em busca de abrigo e apátridas em planos de saúde pública em países anfitriões. Um dos desafios atuais é travar a propagação da Covid-19 e garantir o acesso a serviços.

Para o alto comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi, a parceria essencial para conter a pandemia de coronavírus e outras emergências vem melhorando e salvando vidas de milhões de pessoas forçadas a deixar suas casas.

Assinatura
Ele lembrou que os beneficiários com o reforço desta parceria são refugiados, candidatos a asilo, deslocados internos e apátridas. A expectativa é que a resposta de emergência e os recursos melhorem na oferta de soluções nas operações globais.

Para o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, a atual pandemia apenas destaca a importância vital do trabalho conjunto para que se alcancem mais ganhos no setor.

Na assinatura da parceria, o Acnur formalizou sua entrada ao Fundo de Resposta à Solidariedade Covid-19, que em dois meses já arrecadou US$ 214 milhões.

Resposta global
A iniciativa que conta com a contribuição de indivíduos, empresas e organizações de todo o mundo quer dar uma resposta global liderada pela OMS, apoiando os países em ações para prevenir, detectar e responder à pandemia.

Com US$ 10 milhões do Fundo de Resposta à Solidariedade, o Acnur apoiará ações de comunicação de risco e o envolvimento comunitário em países como Jordânia, Quênia, Líbano, Sudão do Sul e Uganda.

As áreas de intervenção dessa iniciativa incluem promoção de práticas de higiene, oferta de suprimentos médicos e de higiene, criação de unidades de isolamento e apoio à preparação em nível global. Com ONU News

PUBLICIDADE
Don`t copy text!