Justiça rejeita denúncia do Ministério Público Federal a cinco funcionários do BNDES

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A Justiça federal rejeitou hoje (23) denúncia do Ministério Público Federal a cinco funcionários do banco acusados de envolvimento em irregularidades no âmbito da Operação Bullish, da Polícia Federal. A decisão do juiz Marcus Vinícius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal de Brasília, proferiu a decisão.

Deflagrada de maio de 2017, a Operação Bullish investigou fraudes e irregularidades em aportes de R$ 8,1 bilhões concedidos pela subsidiária BNDES Participações (BNDESpar) à JBS para compra de empresas do setor frigorífico. Entre os problemas citados aparecem a compra, pelo BNDESPar – braço do banco voltado para a participação acionária em outras empresas – de ações da empresa frigorífica por valores acima dos de mercado, além da não devolução de recursos que haviam sido liberados pelo banco de fomento para uma aquisição empresarial que não se concretizou.

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Financeiro (BNDES), Joaquim Levy, comemorou a decisão: “A gente recebe com satisfação (a decisão). Evidentemente é uma coisa boa. O banco tem satisfação de a Justiça reconhecer que as nossas atividades são legítimas, feitas sem nenhum problema de influência externa”, disse ao participar da oitava edição do Green Rio, importante evento de bioeconomia do Brasil, que ocorre até sábado (25), na Marina da Glória, no Rio de Janeiro.

“Aqui foi demonstrado que não se encontrou nenhuma evidência em uma situação complicada de alguns anos atrás. E a gente não vai encontrar nenhuma influência agora tampouco”, disse Levy.

Transparência

Joaquim Levy destacou o trabalho dos funcionários do banco, que têm regras e procedimentos que são continuamente aprimorados. Segundo ele, nos últimos anos, houve muitas mudanças graças a um trabalho de controle externo, que tem sido muito positivo ao BNDES: “Tem ajudado a fortalecer os procedimentos e toda a estrutura do banco. O nosso banco continua sendo importante, ele tem contribuições ainda a dar ao país, mas a gente vai dar de maneira diferente”.

O presidente da instituição disse ainda que algumas áreas serão prioritárias para apoio do BNDES. Entre elas a parte de infraestrutura e inovação, que ele considera fundamental, além da democratização do crédito, com uma proporção maior dos financiamentos para pequenas e médias empresas, de maneira que esse entendimento da sustentabilidade atravesse todas as atividades da instituição. “A gente tem que cuidar das nossas riquezas para as gerações futuras, tem que estar em toda atividade econômica que a gente faz”, destacou. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE
Don`t copy text!