Exposição conta a história de São Paulo por meio de escrituras públicas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Rovena Rosa/Agência Brasil

O Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo abriu a exposição Memórias Notariais: série de documentos históricos, que apresenta 13 registros, como a escritura de emancipação de Dumont (Alberto Santos Dumont, inventor brasileiro que construiu os primeiros balões dirigíveis com motor a gasolina) ou a escritura de bens de Assis Chateaubriand, o Chatô. Com entrada gratuita, a exposição pode ser vista no Salão dos Passos Perdidos, na entrada principal da sede do TJ, na Praça da Sé. A visitação é aberta de segunda a sexta-feira, das 12h30 às 18h30, até 28 de setembro.

Os documentos mostram a história de lugares e personalidades paulistas por intermédio das escrituras públicas arquivadas nos cartórios, com o apoio da Seção São Paulo do Colégio Notarial do Brasil. Há documentos raros, como as escrituras de compra e venda da Casa Rosa das Rosas (1913) e de constituição de condomínio do Copan, considerado ponto turístico da capital.

A mostra tem ainda duas escrituras de escravos de 1871 e o documento datado de 1623, no qual o tabelião Simão Borges Sequeira, da então Vila de São Paulo, relata o assassinato de um índio que iria se converter ao catolicismo.

Os amantes do futebol podem ver as escrituras públicas dos principais estádios dos clubes paulistas: Parque São Jorge, Palestra Itália, Morumbi, Vila Belmiro e o estádio do Juventus, localizado na Rua Javari. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE