Operário-PR cala a arena Pantanal lotada e conquista a Série C

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Foto: José Tramontin/OFEC

O Operário-RS é o novo campeão da Série C do Brasileirão! Neste sábado (22), o Fantasma superou o Cuiabá por 1 a 0, calando os 41.311 torcedores presentes na Arena Pantanal. O número de espectadores, inclusive, bateu o recorde de público do estádio, superando os 40.499 presentes na partida entre Nigéria e Bósnia, na Copa do Mundo de 2014. Bruno Batata marcou o gol do título. O goleiro Simão foi o grande nome da decisão: sem sofrer gols, o camisa 1 do Fantasma foi brilhante nos minutos finais do jogo ao fazer verdadeiros milagres.

Na primeira partida, em Ponta Grossa (PR), as equipes empataram em 3 a 3. Com o triunfo, o Fantasma tornou-se a primeira equipe do Brasil a conquistar a Série D e a Série C em anos consecutivos.

A bola mal rolou e a partida precisou ser paralisada. Isso porque a energia da Arena Pantanal caiu aos três minutos de jogo. Foram necessários 90 minutos de espera para que a bola pudesse rolar novamente. Após a pausa, os times retomaram a partida. O goleiro Simão começou a protagonizar o duelo já na primeira etapa, salvando o Operário-PR com pelo menos duas defesas complicadas. O maior milagre foi aos 47 minutos, quando o goleiro paranaense fez excelente defesa em cabeceio de Adriano Pardal, que apareceu cara a cara com o camisa 1.

O Fantasma voltou com tudo para a etapa final, conseguindo abrir o placar logo aos nove minutos. Quirinho cruzou pela esquerda, Souza espalmou dando rebote, a bola sobrou limpa para Bruno Batata empurrar para o fundo das redes. Na marca dos 18, quase o Cuiabá empatou, em pancada de Doda, que pegou na trave de Simão. Aos 37 minutos, por pouco o Operário-PR não decretou de vez a vitória, em chute de Bruno Batata após contra-ataque fulminante. A bola passou pertinho do ângulo do goleiro Victor.

Nos minutos finais, o Cuiabá, empurrado pela torcida, imprimiu pressão incrível no rival. Mas o goleiro Simão estava iluminando, salvando brilhantemente em chute rasteiro, da marca do pênalti. Depois, contou com a sorte em bola que bateu na trave e depois na cabeça do goleiro do Fantasma. Aos 48, Simão salvou mais uma vez, em bola cabeceada dentro da área: o goleiro deu um tapa e mandou o perigo para fora. Depois de suportar o sufoco, o Operário-PR finalmente pôde soltar o grito de “é campeão!”. Com site da CBF

PUBLICIDADE