Doença de Chagas afeta populações mais pobres e sem acesso a serviços de saúde

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Nesta semana, mas precisamente na terça-feira, 14 de abril, as Nações Unidas lembraram o primeiro Dia Mundial de Combate à Doença de Chagas.

O Mal de Chagas afeta especialmente as populações mais pobres e sem acesso a serviços de saúde.

Paciente brasileira
Frequentemente assintomática, a doença é considerada silenciosa e silenciada por muitos especialistas.

O Mal de Chagas já foi considerado endêmico na América Latina.

Foi em 14 de abril de 1909 que a enfermidade foi diagnosticada pela primeira vez pelo médico brasileiro Carlos Ribeiro Justiniano Chagas.

A menina Berenice Soares de Moura foi a primeira paciente notificada com o Mal de Chagas, no início do século passado.

Diagnóstico precoce
O objetivo do Dia Mundial é aumentar as informações sobre a doença e despertar o diagnóstico precoce para facilitar o tratamento.

O Mal de Chagas é considerado uma das doenças tropicais negligenciadas. Isso significa que, na maioria das vezes, o diagnóstico ocorre tardiamente.

Com o Dia Mundial, agentes de saúde esperam que haja melhorias nos índices de tratamento e nas chances de cura além de conter a transmissão da infecção.

Tratamento
O tratamento contra a Doença de Chagas existe e a preço acessível. Teste de sangue e a detecção da doença também em recém-nascidos ajudam na prevenção e cuidados, no controle do vetor, higiene e segurança dos alimentos.

O Mal de Chagas afeta cerca de 6 a 7 milhões de pessoas especialmente nas áreas mais pobres da parte continental da América Latina.

Mas nas últimas décadas, a doença tem sido notificada nos Estados Unidos e no Canadá, em países europeus e na região ocidental do Pacífico.

Sem tratamento, o Mal de Chagas pode causar complicações cardíacas e no aparelho digestivo, e até mesmo levar à morte. Com ONU News

PUBLICIDADE
Don`t copy text!