Unesco indica potencial dos lençóis freáticos para resolver crise da água

No Dia Mundial da Água, celebrado nesta terça-feira, 22 de março, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), sublinha a importância dos lençóis freáticos. Os tipos de reserva produzem 99% da água doce do planeta Terra. Mas a agência lembra que este recurso natural é muitas vezes “mal compreendido e desvalorizado”, sendo também “mal gerido e abusado”, na última edição do Relatório Mundial do Desenvolvimento da Água das Nações Unidas.

Para a Unesco, é o momento de aproveitar todo o potencial dos lençóis freáticos e manejá-los de forma sustentável.

Limitações pela mudança climática
Pelas projeções da agência, o uso da água deverá crescer 1% por ano pelos próximos 30 anos. Com isso, a dependência nos lençóis freáticos deverá subir, uma vez que a água disponível nas superfícies está cada vez mais limitada devido à mudança climática.

Os autores do relatório pedem aos países para se comprometerem com o desenvolvimento do manejo dos lençóis freáticos e com políticas de governança para tratar de futuras crises de água.

Atualmente, os lençóis freáticos fornecem metade do volume de água extraído para uso doméstico, incluindo água potável para a maioria da população rural que não têm acesso a sistemas públicos ou privados de abastecimento.

África Subsaariana
Melhorar a maneira de utilização dos lençóis freáticos é prioridade urgente para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável até 2030, alerta a Unesco. O estudo destaca que a qualidade dos lençóis freáticos é geralmente boa, podendo ser usada de maneira segura e acessível, sem a necessidade de níveis avançados de tratamento.

Regiões como África Subsaariana e Oriente Médio têm quantidades consideráveis de recursos não-renováveis de lençóis freáticos, que podem ser extraídos de forma a manter a segurança da água. Mas é preciso levar em conta a possibilidade do armazenamento se esgotar.

A Unesco enfatiza que, na África Subsaariana, o potencial dos aquíferos é pouco explorado. Apenas 3% das terras agrícolas na sub-região estão prontas para irrigação e apenas 5% dessas áreas utilizam lençóis freáticos. No sul da Ásia, este índice é de 57% e na América do Norte de 59%.

A pouca utilização deste recurso natural está relacionada à falta de investimentos em infraestruturas, nas instituições, no treinamento de profissionais e em conhecimentos sobre o recurso.

Em termos de adaptação climática, a Unesco frisa que a capacidade dos sistemas aquíferos em armazenar excedentes de água pode ser explorada para melhorar a disponibilidade de água doce durante todo o ano. Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!