Mundo precisa fazer mais para apoiar vítimas de terrorismo, diz secretário-geral da ONU

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que “é essencial” lembrar as vítimas do terrorismo e fazer mais para apoiá-las.

Neste 21 de agosto, as Nações Unidas marcam o Dia Internacional em Memória e Tributo às Vítimas de Terrorismo.

Consequências
Em mensagem, o chefe da ONU afirma que a data homenageia todas as pessoas que vítimas deste flagelo.

Para ele, é preciso “apoiar aqueles que ainda sofrem e continuam a viver com as feridas físicas e psicológicas das atrocidades terroristas.”

Guterres diz o impacto do terrorismo pode durar uma vida inteira e ter consequências em várias gerações.

Ele lembrou que “memórias traumáticas não podem ser apagadas, mas é possível ajudar vítimas e sobreviventes buscando a verdade, a justiça e a reparação, ampliando suas vozes e defendendo seus direitos humanos.”

Familiares
Esta é a terceira vez que a ONU marca o Dia Internacional em Memória e Tributo às Vítimas de Terrorismo, estabelecido pela Assembleia Geral em 2018.

Numa dessas comemorações, em Genebra, a ONU ouviu sobreviventes e familiares das vítimas.

Mattia-Sélim Kanaan tinha apenas três semanas de vida quando perdeu o pai num atentado terrorista no Iraque.

Mattia contou que cresceu com aversão a notícias sobre ataques terroristas porque elas o deixavam indignado e triste por outras famílias. Segundo ele, “terroristas não são corajosos e não têm coração, porque não há coragem em matar pessoas desarmadas.”

O jovem contou ainda que, apesar da dor de ter crescido sem o pai, aprendeu “que a vida é mais forte do que qualquer coisa, inclusive bombas e ideologias fanáticas.”

Pandemia
Este ano, o Dia Internacional ocorre em meio enquanto à crise da Covid-19.

Serviços vitais para as vítimas, como apoio psicossocial, foram interrompidos, atrasados ou encerrados, enquanto os governos concentram seus recursos no combate à pandemia.

O secretário-geral disse ainda que “muitos tributos e comemorações foram cancelados ou transferidos para a internet, dificultando a capacidade das vítimas de encontrarem consolo e conforto.”

Nunca esquecidos
Devido a essas restrições, o primeiro Congresso Global das Vítimas do Terrorismo das Nações Unidas também foi adiado para 2021.

Para ajudar estas pessoas a reconstruir suas vidas, o secretário-geral afirmou que a comunidade internacional deve trabalhar com parlamentos e governos para adotar legislação e estratégias nacionais.

O secretário-geral destacou ainda o “trabalho inestimável” das associações de vítimas e pediu que “aqueles que sofreram sejam sempre ouvidos e nunca esquecidos.” Com ONU News

PUBLICIDADE
Don`t copy text!