Indicador mostra que movimento do comércio cresceu em maio

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O Indicador de Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo Brasil, avançou 2,2% em maio na comparação mensal dessazonalizada, de acordo com dados apurados pela Boa Vista. Na variação acumulada em 12 meses, a queda desacelerou para 1,7% após o indicador apontar elevação de 19,2% na comparação interanual. Vale, ainda, ressaltar que o mês de maio do ano passado também foi muito impactado pela pandemia, tanto que a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) havia registrado queda de 7,3% em relação a maio de 2019.

No mês, o resultado veio alinhado às expectativas, dado que as medidas de isolamento foram ainda mais flexíveis no período em relação aos meses anteriores, explicam os economistas da Boa Vista. No ano, o indicador marca alta de 0,1%, o que também não surpreende. Apesar do efeito base referente aos meses de abril e maio ser forte, dado que no ano anterior os resultados foram fracos neste período, em março, várias regiões decretaram a fase emergencial de combate ao coronavírus, o que penalizou um pouco mais as vendas no varejo.

A melhora no indicador reflete, não apenas as medidas de isolamento mais brandas, como também a retomada, mesmo que parcial, da confiança do comércio e dos consumidores. Embora a taxa de desemprego esteja num nível elevado, a inflação esteja pesando sobre o orçamento das famílias e o crédito, por sua vez, esteja ficando mais caro, a tendência de desaceleração da queda na análise de longo prazo se mantém. No entanto, a partir do segundo semestre, uma melhora, sobretudo, no mercado de trabalho se torna cada vez mais importante, dado que a inflação deve continuar sendo um obstáculo por um pouco mais de tempo. Para tanto, um impulso na campanha de vacinação é essencial, e ele está chegando.

Metodologia
O indicador Movimento do Comércio é elaborado a partir da quantidade de consultas à base de dados da Boa Vista, por empresas do setor varejista. As séries têm como ano base a média de 2011 = 100, e passam por ajuste sazonal para avaliação da variação mensal. A partir de janeiro de 2014, houve atualização dos fatores sazonais e reelaboração das séries dessazonalizadas, utilizando o filtro sazonal X-12 ARIMA, disponibilizado pelo US Census Bureau.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!