Galo segue treinando e Victor diz que momento é de adaptação

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O elenco alvinegro realizou atividades na manhã desta quinta-feira (21), na Cidade do Galo, dentro da semana que vai marcando o retorno do Atlético aos treinamentos. Para o goleiro Victor, que conversou com a TV Galo, o momento é de adaptação às novas rotinas do trabalho.

“É uma situação atípica que a gente tem estranhado um pouco porque não vivemos aquela rotina de vestiário, até porque os vestiários estão fechados, a gente já vem trocado de casa, é algo um tanto quanto estranho. Temos pouquíssimo contato com os outros jogadores, a não ser aqueles que estão em nosso grupo. É um momento de adaptação até as coisas voltarem ao seu ritmo normal, que acredito que ainda demore um pouco porque a gente vê, hoje, o país passando por um surto muito grande, então, temos que ter esse resguardo mesmo para nos proteger. Dentro das condições e possibilidades, temos buscado fazer o trabalho que é proposto e se preparar. Não temos ainda competições em vista, por um lado isso é ruim, o torcedor quer ver futebol, a gente quer atuar, mas, por outro lado, a gente ganha tempo no sentido de ter uma preparação adequada, gradual, sem atropelos. Então, tem coisas que são ruins, mas tem coisas que a gente analisa de forma positiva”, destacou o arqueiro atleticano.

Segundo Victor, a interação entre os profissionais nos trabalhos específicos realizados pelos goleiros é muito importante, mas é preciso ter calma nesse momento e saber aproveitar o que ele traz de positivo em relação ao treinamento.

“A gente sempre tem essa interação em nosso trabalho específico, sempre observa, aprende um com o outro. Procuramos, sempre, dialogar com o treinador de goleiros, conversar um com o outro. Essa troca de experiência, esse bate-papo, faz o trabalho evoluir. Mas temos que nos adaptar e tirar o máximo de proveito do que a situação oferece, que é ter quase que um personal trainer ali para a gente. O treino fica realmente um pouco menos alegre, mais frio, pela falta desse contato com os outros colegas de profissão, mas a gente sabe que é uma situação provisória, temporária. Então, é momento de paciência para que as coisas caminhem da melhor forma possível”, comentou.

Em uma das perguntas feitas por jornalistas, através da assessoria de comunicação, Victor falou sobre a preparação relativa ao jogo com os pés que, de acordo com ele, hoje, é algo essencial da posição de goleiro.

“Cada vez mais, a construção das jogadas passa pelos pés do goleiro. É o treinamento, o Sampaoli usa muito os goleiros nos seus trabalhos, jogos com os pés, trabalhos de campo reduzido, isso vai gerando essa adaptação e te dando automatização dos movimentos, daquilo que ele quer. O mais importante para automatizar o jogo com os pés é você entender o conceito de jogo. Tendo jogos com os pés e sabendo a proposta de jogo, de esquema tático e colocação dos seus companheiros, isso ajuda bastante. É tudo questão de adaptação e treinamento, mas que não é nenhuma novidade”, observou o goleiro.

Período sem trenos na Cidade do Galo – Sobre os 62 dias sem atividades no centro de treinamento, Victor afirmou que foi um período bastante difícil em termos de trabalho, para conseguir manter o nível físico sem todos os recursos que o clube oferece.

“A gente teve que se reinventar, improvisar. Infelizmente, isso fez parte da nossa rotina de trabalho. Não estávamos de férias, então, dentro de casa, tivemos que seguir as recomendações que o pessoal da preparação física passou, sugestões de trabalho dentro das nossas possibilidades, para que chegássemos à apresentação em uma condição física , se não ideal, pelo menos razoável para que pudéssemos dar início aos trabalhos em campo já desde o primeiro dia”, disse.

O camisa 1 também falou dos cuidados pessoais que vem tomando nesse período da pandemia da Covid-19.

“Não tenho ido ao supermercado, tenho feito tudo através da internet, compras on-line, através de aplicativos. É um procedimento que, até pouco tempo atrás, se a gente falasse que fazia, soaria como uma neurose, como algo exagerado. Mas, hoje, é fato. Toda vez que a compra chega, passo um pano com álcool, item por item. Os alimentos que se consomem in natura, ficam de molho por um tempo, para esterilizar. Nesses tempos de Covid, a gente tem que se adaptar, se reorganizar e tomar todas as precauções possíveis para ficar menos suscetível à doença”, descreveu.

“Venho seguindo todas as recomendações, evitar contato social, aglomerações. Quando saio de casa, deixo uma solução de água com cloro no portão para passar nos calçados quando chego e, se possível, também já troco de roupa e coloco para lavar. A questão dos alimentos, delivery de comida também sempre faço a higienização das embalagens, com álcool 70%. Enfim, mais isolamento, ficar mais resguardado, que são as principais recomendações para esse momento”, completou Victor. Com informações do Atlético-MG.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!