Redução no preço de testes para HIV/sífilis deve ajudar a eliminar infecção de mães para bebês

Todos os anos, quase 1,3 milhão de mulheres vivendo com HIV engravidam e cerca de pouco menos de 1 milhão de gestantes estão contaminadas com sífilis. Muitas grávidas seguem sendo afetadas por ambas as infecções por falta de diagnósticos e tratamento.

Para ajudar a combater a transmissão vertical, a de mães para bebês, uma nova parceria de duas empresas a MedAccess e a SD Biosensor com a Iniciativa Clinton de Acesso à Saúde vai colocar à disposição testes RDTs que custam menos de um dólar.

Uso fácil
O teste duplo, rápido e de uso fácil, é recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O exame pode ser integrado aos serviços básicos de saúde pelos países.

A parceria da Iniciativa Clinton com as duas empresas leva ao preço mais baixo já registrado até agora. A OMS recomenda este exame para grávidas desde 2019, não apenas como o primeiro teste pré-natal para ajudar os países. Até o momento, a agência da ONU já autorizou três testes duplos para HIV e sífilis.

Governos
Muitas nações adotaram as recomendações da OMS e o kit duplo no pacote do tratamento pré-natal especialmente na região africana.

A agência estima que os maiores doadores e governos licitaram mais de 5 milhões de testes rápidos de HIV/sífilis no ano passado, e o número deve crescer.

Um piloto na Nigéria, iniciado há dois anos, está sendo agora implementando em escala nacional com a previsão de 4 milhões de testes por ano.

Com a redução no preço do exame, espera-se que o número de pessoas diagnosticadas possa aumentar no resto do mundo com mais gestantes recebendo o serviço e evitando que os bebês nasçam contaminados. Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!