Circuito Veredas do Paraopeba recebe novo impulso para fortalecer o turismo local

Depois de alcançar resultados expressivos em seu primeiro ano, o Projeto para o Fortalecimento da Competitividade do Setor Privado do Turismo chega a sua segunda edição com vagas ampliadas e conteúdo reforçado. Até 2023, 90 empresários de Brumadinho, Mario Campos, Juatuba, Igarapé e São Joaquim de Bicas receberão apoio para melhorar o desempenho de seus negócios. As inscrições podem ser feitas até esta terça-feira, 16 de novembro, acessando AQUI.

Desenvolvido pelo Circuito Turístico Veredas do Paraopeba em parceria com a Vale, a iniciativa busca capacitar empresários do trade turístico como via para o desenvolvimento econômico da região. “Sabemos da importância da atividade turística como geradora de emprego e renda nos municípios”, explica a Analista de Turismo da Vale, Daniele Teixeira.

No primeiro ano do projeto, três agências de turismo receptivo,15 empresas de alimentos e bebidas, um guia de turismo, 21 meios de hospedagem e dez produtores associados ao turismo – apoiados pelo projeto – receberam assistência técnica em diferentes áreas de gestão, além de consultoria em marketing e mídias sociais e apoio para o desenho de experiências turísticas inovadoras. Foram 4,1 mil horas de consultoria, dez roteiros criados, 1250 fotos profissionais tiradas e 190 pessoas envolvidas nas capacitações coletivas, contribuindo assim para a melhoria dos serviços, o aprimoramento da gestão e o fortalecimento da imagem da região como destino turístico competitivo.

Glauco Silva é proprietário da Brumatur Viagens, agência e receptivo de turismo que atua em Brumadinho desde 2012. Em 2020, apoiado pelo projeto, ele conseguiu profissionalizar seu negócio. “Nos desenvolvemos muito. Posso dizer que hoje estamos mais bem preparados para receber os turistas que nos procuram”, analisa. Satisfeito com os resultados, o empresário já confirmou sua participação na segunda fase do projeto. “Quando fiquei sabendo da continuação, não pensei duas vezes. Precisamos nos atualizar e estar preparados para a retomada do turismo”, lembra.

Nos próximos dois anos, Glauco Silva terá apoio para atualizar seu plano de negócios e monitorar o desempenho de sua empresa. Além disso, terá acesso a um curso de fotografia para redes sociais e receberá consultoria em gestão especializada. “Estou muito empolgado com essa nova fase do projeto. Ela será muito importante para todos nós empresários do turismo na região. É uma grande oportunidade”, conclui.

Vale/Divulgação

Além de continuar o trabalho iniciado com 50 empresários em 2020, o projeto abriu 40 vagas para novos participantes. O grupo terá acesso às principais frentes trabalhadas na primeira edição e também a diversas novidades. Uma delas é a ação de benchmarking, que proporcionará a participantes selecionados a imersão em um destino turístico de referência. “A ideia é que eles conheçam boas práticas e repliquem as experiências em seus empreendimentos e destinos, beneficiando assim os municípios de origem”, explica Daniele.

A analista conta ainda que serão realizadas rodadas de negócios para fomentar a economia local. “Queremos movimentar a cadeia produtiva, colocando fornecedores locais em contato direto com o trade turístico. Assim melhoramos a comercialização dos serviços e dos produtos locais dentro da própria região”.

Outro objetivo do projeto é aumentar a visibilidade dos municípios em outros estados. “Queremos apresentar esses destinos em feiras fora de Minas Gerais e trazer operadoras de turismo, influenciadores e jornalistas para conhecerem a oferta local”, detalha Daniele.

Os roteiros de experiência, que fizeram sucesso na última edição, serão ampliados. Em 2020, foram dez roteiros; até 2023, estão previstos mais 16. “Além de encorpar numericamente, vamos fazer uma amarração estratégica entre todas as experiências. Uma ideia é agrupá-las por segmentação, por exemplo bem-estar ou gastronomia. Assim, favorecemos o deslocamento de turistas de determinados perfis entre os municípios da região”, explica Érica Maia, do Circuito Turístico Veredas do Paraopeba.

Ela ressalta que todo o percurso do projeto é orientado pela análise de indicadores de resultado e de desempenho. “Os indicadores contam uma história de como os empreendimentos e, consequentemente, o destino está se comportando em relação ao turismo. A partir da análise dessas informações, conseguimos avaliar a evolução do projeto como um todo e, se necessário, ajustar alguma ação que não esteja trazendo os resultados esperados”, detalha Érica. Com informações da Assessoria de Imprensa da Vale.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!