Polícia Civil apresenta balanço das ações em MG contra o tráfico de drogas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

operacao_policia_civil_viatura5
A Polícia Civil de Minas Gerais, por meio do Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc), realizou 93 operações contra o tráfico de drogas em 2015, que resultaram em 112 prisões – por autos de prisão em flagrante ou por meio de mandados de prisão – e no indiciamento de mais de 600 pessoas. O Denarc investiga desde grandes grupos de narcotraficantes – que atuam no tráfico interestadual de entorpecentes -, até ocorrências regionais e locais.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O chefe do Departamento, delegado Kleyverson Rezende, explica que o trabalho é realizado em duas frentes principais: as operações contra grandes esquemas de narcotráfico, que demandam investigações mais complexas, e as apurações em nível local.

“Analisamos que os índices de homicídios têm grande confluência com o tráfico de drogas. Por isso, vamos fortalecer nossas parcerias com o Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DIHPP) e as delegacias de área”, afirma.

Perícia
Todo o material apreendido em ações policiais no Estado passa por perícia no Instituto de Criminalística da Polícia Civil (IC). O procedimento é necessário para que sejam constatadas, cientificamente, quais as substâncias são apreendidas pela polícia, apresentando, assim, dados que subsidiam os inquéritos policiais. Em 2015, foram realizados 37. 440 laudos periciais em drogas de abuso.

Desde o ano passado, o Instituto também adota uma nova metodologia, que otimiza os procedimentos de análise dos entorpecentes. O diretor do Instituto, Marco Paiva, conta que, agora, apenas uma pequena porção do material apreendido é levado ao órgão para realização de prova e contraprova.

Segundo Paiva, a metodologia garante mais segurança na guarda do material apreendido, evitando a pesagem e contagem de grandes volumes que até então eram feitos na unidade responsável pela operação e, depois, no IC, no momento do recebimento. “Esse novo procedimento cumpre protocolos internacionais e dá garantia às autoridades Policial e Judiciária para a imediata destruição da droga remanescente”, acrescenta o diretor do IC.

Destaques
Durante o ano de 2015, a Polícia Civil realizou uma série de operações, resultando na desarticulação de vários grupos que se organizavam para o tráfico de drogas no Estado e em outros territórios. Confira abaixo algumas delas:

Operação Hora Extra
Em março de 2015, a Polícia Civil, por meio da 2ª Delegacia Regional de Alfenas, deflagrou a Operação Hora Extra, voltada para o combate ao tráfico de drogas no Sul do Estado, que resultou na prisão de 16 pessoas. Os presos, segundo as investigações, faziam parte de uma quadrilha que agia no tráfico de drogas no Sul de Minas, com base em Alfenas. Um dos suspeitos foi preso em Ribeirão Preto (SP).

Operação Bigas
No mesmo mês, um dos líderes do tráfico de drogas no Aglomerado da Serra, em Belo Horizonte, foi preso durante operação. Fábio Rodrigues Fernandes, conhecido como “Bigas”, foi preso em flagrante com nove quilos de drogas, uma arma calibre 9 mm e mais de R$ 10 mil em dinheiro. No decorrer das investigações, foram presos 12 integrantes da associação criminosa de Fábio. Com o grupo, foram apreendidos dez veículos, duas armas de fogo e um quilo de maconha.

Operação Sieg
Em junho de 2015, o Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) concluiu, em Belo Horizonte, a Operação Sieg, com a prisão de 29 pessoas e apreensão de 231 quilos de maconha, e aproximadamente R$ 140 mil em dinheiro, além de armas e veículos. O nome da ação faz referência à prisão de Neuber Júlio de Souza (o Alemão), de 39 anos, um dos criminosos mais procurados do Estado, à época.

Operação Assepsia
Em julho de 2015, a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Matozinhos, realizou a Operação Assepsia, que terminou com a prisão de 24 pessoas, em cinco cidades da região de Matozinhos. As investigações revelaram um complexo esquema de crime organizado, em que os suspeitos compravam as drogas e as revendiam em várias cidades mineiras.

Operação Olimpo
Em agosto de 2015, mais de trinta pessoas foram presas durante operação realizada no município de Betim. Os suspeitos integravam organização criminosa que buscava pasta base de cocaína em São Paulo e a levavam para o refino em Felixlândia, município localizado na região Central de Minas. De lá, a droga era transportada para Betim, escondida em veículos comuns, sendo depois revendida na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Operação Itaipu
Em uma ação da Polícia Civil com parceria do Ministério Público de Minas Gerais, foi desarticulado, em novembro de 2015, um grande esquema de tráfico interestadual de drogas, que abrangia desde Foz do Iguaçu, no Paraná, passava por Minas Gerais e chegava ao Espírito Santo. Ao todo, foram presas 11 pessoas e apreendidas 3,5 toneladas de drogas. No curso das investigações, verificou-se que a quadrilha se dividia em diferentes núcleos criminosos: o principal composto por “fornecedores” de Foz do Iguaçu e, os demais, por “distribuidores” de diferentes grupos de Belo Horizonte e das cidades de Betim, Contagem, Igarapé, Santa Luzia e Vale do Aço. Com Agência Minas

Portal GRNEWS © Todos os direitos reservados.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!