Agência Metropolitana debate transporte ferroviário na ALMG

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Representantes da Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte vêm à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nesta quinta-feira (19), para apresentar e debater estudos sobre o transporte ferroviário na Capital e seu entorno. A reunião, realizada pela Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras, será no Plenarinho IV da ALMG, a partir das 14h15.

A presença da diretora-geral da Agência Metropolitana, Mila Batista Leite da Costa, está confirmada. O requerimento para realização da reunião é de autoria do presidente da comissão parlamentar, deputado João Leite (PSDB), da deputada Marília Campos (PT) e do deputado Coronel Henrique (PSL).

A Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) abriga alguns dos principais projetos ferroviários que vêm sendo discutidos pela Assembleia e pelo Governo do Estado. A região é destaque no relatório final da Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras de 2018 e também abriga boa parte das prioridades elencadas pelo Poder Executivo na elaboração do Plano Estratégico Ferroviário, que foi anunciado na ALMG, em solenidade realizada em 14 de agosto.

Entre as propostas do relatório final que devem ser priorizadas no Plano Estratégico estão o Ferroanel de Belo Horizonte, a adequação no transporte de cargas entre o Triângulo Mineiro e a RMBH, a linha Ipatinga (Vale do Aço) à Serra do Cipó (RMBH) e linhas para transporte de passageiros de Belo Horizonte a Brumadinho (RMBH) e de Divinópolis a Betim (RMBH).

O deputado João Leite salienta a importância do Ferroanel, pelo fato de que este poderá liberar as linhas ferroviárias de 22 municípios da região metropolitana para o transporte de passageiros. Outros projetos destacados pelo deputado são os trens de passageiros que ligariam a Capital a alguns dos principais pontos turísticos do Estado, tais como o Museu de Inhotim (em Brumadinho) e as cidades históricas de Ouro Preto e Mariana (ambas na Região Central). Nesse último caso, João Leite tem cobrado que a ligação ferroviária é importante para evitar o isolamento das cidades históricas no caso de um rompimento de barragens de rejeitos de minério, próximas às atuais rodovias. Com ALMG

Don`t copy text!