Continua aumentando carga viral do novo coronavírus no esgoto de Belo Horizonte

A carga viral (quantidade de cópias) do novo coronavírus (COVID-19) detectada nas amostras de esgoto oriundo de Belo Horizonte (MG) continuou num patamar elevado nas semanas epidemiológicas 9 e 10 (de 1º a 12 de março) deste ano. Segundo aponta o Boletim de Acompanhamento nº 33 do projeto-piloto Monitoramento COVID Esgotos, divulgado nesta sexta-feira, 19 de março, a quantidade de cópias do vírus variou entre aproximadamente 7 e 26 trilhões de cópias por dia respectivamente nas semanas 9 e 10.

A carga viral observada na 10ª semana epidemiológica foi aproximadamente 45% superior à carga observada em julho de 2020, um dos meses mais críticos da pandemia na capital mineira em termos de demanda no sistema local de saúde, quando foram registradas 18 trilhões de cópias.

De acordo com o Boletim nº 33, a carga viral em Belo Horizonte está num patamar semelhante ao observado nas semanas epidemiológicas 5 e 6 de monitoramento de 2021 (de 1º a 12 de fevereiro), quando foram registradas 28 trilhões de cópias do vírus, conforme o gráfico a seguir. Para que houvesse uma redução desde então, o documento destaca as medidas para reduzir a circulação do vírus. “Diante do agravamento da pandemia em Belo Horizonte e no Estado de Minas Gerais, os governos estadual e municipal intensificaram as medidas de prevenção e controle, tal como o distanciamento social e restrição mais acentuada para atividades não essenciais, visando à redução da disseminação do vírus no município.”

Levando em conta a metodologia adotada a partir do Boletim nº 29, a estimativa da população infectada passa a ser considerada por faixas mínima, média e máxima. Nesse sentido, o Boletim de Acompanhamento nº 33 estima que a população total infectada em Belo Horizonte seja respectivamente de 160, 215 e 290 mil pessoas com base nas faixas. Como comparação, o Boletim nº 32 estimou a população infectada mínima, média e máxima nos patamares de 150, 200 e 270 mil pessoas. Veja a seguir o gráfico que ilustra a variação do equivalente populacional, conforme a carga viral identificada. Com informaçôes da Assessoria de Comunicação Social da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!