Falta de capital humano trava crescimento na América Latina, diz FMI

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Um estudo do Fundo Monetário Internacional (FMI), alerta que a falta de capital humano está impedindo o crescimento na América Latina.

O relatório da instituição realça que o Produto Interno Bruto, PIB, per capita da região está ao mesmo patamar de 1990 situando-se “um pouco mais de um quarto de renda dos Estados Unidos”.

Investimento
Já o rendimento nos países emergentes e em desenvolvimento da Ásia, que era de apenas 5% na época, veio a quadruplicar em 29 anos.

Um dos motivos apontados para o fraco crescimento da renda relativa é o fato de a Ásia ter o dobro do nível de investimento em relação à América Latina.

Mas as regiões central, do leste e do sudeste da Europa colocam essa narrativa em dúvida. O FMI revela que o crescimento econômico foi mais rápido nessas regiões do que na América Latina, mesmo com um menor investimento quando comparado ao da Ásia.

Mas a instituição defende que uma maior reserva de capital por trabalhador aumenta o PIB per capita até certo ponto, após o qual o retorno sobre o investimento começa a diminuir.

Produção
Um dos exemplos destacados pelo FMI é o da rotina de um entregador de pizza que use uma motocicleta, que faz mais entregas do que aquele que faz o mesmo trabalho caminhando. A instituição explica que se o mesmo entregador tiver duas motos, ou uma outra mais cara, não aumentará muito sua produção.

O relatório destaca que, a longo prazo, a mão de obra e o capital não serão os motores de crescimento regional, mas sim a produtividade .

O estudo considerou diferentes elementos do crescimento do PIB da Polônia e do México desde 1995 para concluir que a combinação de capital humano e da produtividade é importante para o país europeu, embora muitas vezes tenha sido um fator negativo para a nação latino-americana.

O FMI realça que uma governança sólida e um bom ambiente de negócios são importantes para que aumente a produtividade na América Latina.

Propriedade
Uma das constatações do estudo é que em países onde os direitos de propriedade sejam garantidos mas a governança seja deficiente, as empresas permanecerão pequenas e com produtividade baixa.

Já em economias bem administradas, as empresas de sucesso podem se tornar maiores e mais eficientes. Com ONU News

PUBLICIDADE
Don`t copy text!