Cidadãos participam de curso de primeiros socorros e salvar vidas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Divulgação/CBMMG

Foram oito minutos entre o acidente e a chegada da equipe de resgaste! Nesse período, Bruno Moreira Soares preocupou-se com a sinalização do local e agiu aplicando técnicas de primeiros socorros, conforme a prioridade e necessidade dos feridos – no caso, o sobrinho Davi Inácio, a mãe Sislene Moreira e a irmã Renata Moreira – até que médicos e bombeiros assumissem a situação.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O acidente aconteceu em junho de 2014, em Belo Horizonte, quando a família se deslocava para aproveitar o feriado de Corpus Christi. Menos ferido, Bruno aplicou o conhecimento adquirido na Turma 55 (20 a 31 de julho de 2009) do Curso de Primeiros Socorros oferecido, gratuitamente, pelo 3º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militares de Minas Gerais.

Desde a criação do curso, em 11 de setembro de 2006, o Corpo de Bombeiros já capacitou 6.430 pessoas, tornando-as aptas à prestação do serviço de primeiros socorros em nível básico dentro da norma prevista pela corporação. Ao priorizar as ações, Bruno agiu corretamente, minimizando danos e contribuindo para a garantia de vida aos envolvidos no acidente.

“Buscamos familiarizar a sociedade com a prática dos primeiros socorros, a fim de diminuir o número de óbitos e maiores problemas, como fez nosso ex-aluno Bruno, até a chegada de uma equipe especializada de socorro”, destaca o responsável pela formação das turmas e também pelas aulas do curso, o 2º sargento Robson de Paula.

Com esse objetivo e buscando atender a um público bem abrangente, que passa pelas donas de casa aos profissionais da área de saúde, a corporação compõe uma turma do Curso de Primeiros Socorros a cada 15 dias. São 60 pessoas capacitadas todos os meses e que, em casa, na rua ou no trabalho estão prontas para prestar o primeiro atendimento a quem precisar.

“Oferecemos noções básicas de anatomia, técnicas de imobilização na prancha de resgate e dicas de atendimento e contenção aos traumas, como ferimentos, fraturas, hemorragia e o cuidado com pessoas em estado de choque, além de treinar o cursista para agir em situações de emergências clinicas, como nos casos de infarto, angina, convulsões e AVC”, explica o sargento De Paula.

A qualificação tem um peso tão grande entre os cursistas que é comum entre os profissionais da área da saúde, que participam das aulas, afirmar que aprenderam técnicas e informações que não tiveram em suas formações anteriores.

Engenheira de Segurança do Trabalho, Paula Carvalho integrou a turma 226 e destaca que o conhecimento é passado de forma clara, simples e dinâmica para que uma pessoa leiga consiga entender e logo aplicar o que aprendeu. “É uma iniciativa que está para além do ensinar a salvar vidas, nos ajuda a, em primeiro lugar, aprender a ser humano”, diz.

Também da turma 226, Hugo Leonardo Santos é taxista e participou das aulas ao lado de sua mulher. Para ele, o curso é um grande diferencial para a garantia de vida a muitas pessoas que passam por situações de emergência.

“São duas semanas de aprendizado, com o qual você poderá salvar a vida de seu pai, mãe, irmãos ou de um desconhecido. Veja só, rodo a cidade o tempo todo, posso aplicar, caso necessário aquilo que aprendi. É um curso de metodologia simples e objetiva”, afirma Hugo, ao recomendar que as pessoas incluam seus nomes nas listas e participem da capacitação.

Requisitos
O curso acontece em duas semanas, totalizando 40 horas/aula, divididas em encontros diários das 19h às 22h30 no 3º Batalhão, localizado na Avenida Antônio Carlos, em Belo Horizonte. São poucas as exigências para que o cidadão possa participar do curso, basta ter mais de 18 anos e ser alfabetizado.

Com 30 alunos, em cada turma são oferecidas aulas teóricas e práticas. A avalição dos alunos é feita com uma prova de 50 questões, além de uma prova prática para aplicação das técnicas de primeiros socorros. Caso obtenha média acima dos 70%, o aluno é certificado e recebe o diploma assinado pelo comandante do quartel.

Para garantir sua inscrição em uma nova turma do Curso de Primeiros Socorros, o interessado precisa incluir seu nome na lista de espera. Uma turma é formada a cada 15 dias e atualmente são cerca de mil pessoas aguardando a sua vez..

Emergência Kids
Outra iniciativa dos Bombeiros que também garante o compartilhamento de informações com o cidadão mineiro é o projeto “Emergência Kids”. Coordenado pela Academia de Bombeiros Militar, por meio do Corpo de Alunos, o projeto é realizado por meio de palestras e oficinas gratuitas, durante o ano, em Belo Horizonte.

Direcionadas para pais e responsáveis, as palestras estão relacionadas a situações enfrentadas no cotidiano, ou seja, mostra como agir quando o bebê engasga durante a amamentação ou quando a criança sofre uma queimadura ou cai acidentalmente em uma piscina.

Os participantes são orientados com técnicas que deem respostas aos casos de acidentes e quedas, obstruções respiratórias, afogamentos, cortes e hemorragias e outras situações comuns no dia a dia familiar.

De acordo com a ONG Criança Segura, em 2014 foram 4,5 mil mortes de crianças de 0 a 14 anos. Acidentes domésticos como quedas, sufocação, queimaduras e outros responderam por 55% dessas mortes.

“O objetivo do Corpo de Bombeiros é diminuir os índices de mortalidade causados por acidentes domésticos e transmitir às mães e responsáveis os conhecimentos de prevenção e atendimento básico em situações que envolvam riscos para a criança, tornando-as aptas à primeira resposta até que o socorro adequado seja possível”, explica o tenente Christian Adriano Ferreira.

O calendário de palestras e oficinas, bem como o prazo para inscrições e composição das turmas, podem ser encontrados ao longo do ano no site dos Bombeiros. As palestras ocorrem na Academia localizada na Unidade 1 do Corpo de Bombeiros, na Rua Piauí 1.815, bairro Funcionários.

Socorrista elogiado
“Mais importante que fazer é não fazer a coisa errada que possa agravar o quadro do paciente”, garante o sargento De Paula. Essa foi a informação que pautou o modo de proceder do Bruno enquanto a equipe de resgate estava a caminho. Como não se feriu gravemente, ele prestou os primeiros socorros aos seus familiares e ainda recebeu elogios da equipe médica..

“Dei prioridade a evitar o pior sinalizando o local, retirando meu sobrinho Davi da cadeirinha e colocando-o no chão da via e aplicando os primeiros socorros, como lateralizando e monitorando os sinais vitais. Chegou um rapaz com curso de segurança que também tinha conhecimento e ajudou a cuidar do Davi. Assim, pude dar atenção à minha mãe que estava em choque, estabilizei e monitorei os sinais”, relata Bruno

Ele conta que a chegada dos bombeiros e médicos ocorreu 8 minutos depois. A equipe então assumiu o controle da situação e, na sequência, encaminhou os feridos ao Hospital de Pronto Socorro João XXIII.

“Depois de feitos os procedimentos, recebemos o boletim médico com elogio para o socorrista (eles não sabiam que era eu), dizendo que se não fossem Deus e o socorrista meu sobrinho teria morrido no local, e isso me faz agradecer a Deus e depois ao sargento e aos demais bombeiros pela oportunidade”, finaliza Bruno.

Informações e inscrições

Curso de Primeiros Socorros (3º Batalhão): (31) 3490-5528, das 15 às 17 horas, de 2ª a 6ª feira. Será preciso informar nome completo, número do documento de identidade e o número do telefone com o aplicativo WhatsApp.

Projeto Emergência Kids (Academia): informações pelo telefone (31) 3289-8098. Para inscrição será necessário acompanhar pelo site da corporação: www.bombeiros.mg.gov.br. Com Agência Minas

PUBLICIDADE