Triplica o número de países com regulamentações sobre produtos com gordura trans

Cerca de 40 países, a maioria de renda alta, já definiram políticas para tentar eliminar a gordura trans dos alimentos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Enquanto 1,4 bilhão de pessoas no mundo estão protegidas desse componente alimentar perigoso, não existem leis do tipo em países de baixa renda.

A agência da ONU lembra que a gordura trans pode ser encontrada em bolos, bolachas, alimentos processados e óleos de cozinha e está bastante associada a um aumento do risco de ataques cardíacos e doenças do coração.

Brasil faz avanços
Eliminar a gordura trans dos alimentos pode não apenas salvar vidas, mas também diminuir o número de pacientes que buscam os sistemas de saúde para tratar essas condições.

A agência da ONU comemora que neste ano, medidas contra a gordura trans foram adotadas pelo Brasil, Peru, Turquia, Reino Unido e União Europeia. No ano passado, outras nações como Índia, Filipinas e Ucrânia já tinham implementado políticas do tipo.

Apelo global
Essas medidas governamentais são passos importantes para o alcance da meta estipulada pela OMS de se eliminar a gordura trans industrializada até 2023. Ao mesmo tempo, países com muitos produtos com a componente ainda precisam aprovar essas políticas.

O diretor-geral da agência da ONU, Tedros Ghebreyesus, fez um apelo para que todas as nações ajam agora para proteger suas populações deste composto “perigoso e desnecessário”.

A OMS explica que no continente africano, apenas a África do Sul tem uma política para eliminar a gordura trans, enquanto que a Nigéria dá um passo neste sentido e uma lei deverá ser aprovada em breve.

O presidente da iniciativa “Resolve to Save Lives”, Tom Frieden, declarou “que os governos tem a responsabilidade de proteger suas populações deste ingrediente tóxico”. Segundo ele, a questão é urgente.

Entre os 15 países com o maior produção de alimentos com gordura trans, 10 ainda não adotaram políticas de controle e eliminação, incluindo México, Equador, Austrália, Paquistão e Nepal.

A OMS pede aos fabricantes de alimentos para eliminar a gordura trans de seus produtos e para os fornecedores de óleos e de gorduras para que tomem medidas para remover esses ingredientes dos produtos vendidos a fabricantes de alimentos em todo o mundo. Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!