Paris Jackson lança “Wilted”, seu álbum de estreia

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Com apenas 22 anos de idade, a cantora, compositora, atriz, modelo e ativista Paris Jackson lança “wilted”, o primeiro álbum completo de sua carreira. Escrito e produzido em colaboração com Andy Hull, e com engenharia de som e instrumentação de Robert McDowell, ambos da Manchester’s Orchestra, essas onze faixas costuram uma amálgama multidimensional de mágoa, cura, perda e amor, carregado por vocalizações nebulosas em uma colcha de retalhos de folk alternativo.

“let down”, a música de trabalho do álbum, que estreou recentemente, foi recebida com aplausos pela crítica de veículos como Rolling Stone, USA Today, Idolator, Spin, Entertainment Weekly, e mais. O E! Online descreveu a faixa como “uma fantasia suntuosa do folk alternativo”, enquanto a Refinery29 definiu como “uma melodia suave, mas assustadora sobre o horror de um coração partido”. Em apenas duas semanas, o single acumulou cerca de um milhão e meio de streams globalmente, impulsionado pelo clipe, com produção executiva de Eli Roth e dirigido por Meredith Alloway.

Embora Paris venha de uma das famílias mais bem-sucedidas da história da música, ela é mais conhecida por seu ativismo e trabalhos como atriz e modelo, que recentemente renderam suas primeiras campanhas para marcas internacionais, como a Calvin Klein, estampando a capa das principais revistas de moda , incluindo vários títulos da Vogue e Harper’s Bazaar. Paris fez sua estreia na passarela no início deste ano, no desfile final de Jean-Paul Gaultier. Na frente de atuação, ela assumiu vários papéis na TV e no cinema, colaborando com aclamados profissionais da indústria, incluindo Lee Daniels, Charlize Theron, Joel Edgerton e Rachel Winters.

Com o lançamento de “wilted”, Jackson se mantém apaixonadamente focada em avançar em sua arte. “Eu vivenciei uma experiência de cura ao fazer este álbum. Em um mundo ideal, seria incrível se as pessoas experimentassem um tipo de cura semelhante ao ouvi-lo – mas prefiro deixar que elas absorvam o que quiserem do álbum. Eu coloquei muito de mim nessas músicas e me mantive vulnerável o máximo que pude. Com isso, acabamos levando-as a um nível que eu nunca poderia ter imaginado”, finaliza Paris.

Além da música, a maior paixão de Paris sempre foi usar sua plataforma para iluminar causas importantes para ela, que chegou a sair do roteiro durante apresentações nos Grammy Awards e MTV VMAs, para destacar o Dakota Access Pipeline e eventos de injustiça racial em Charlottesville, respectivamente. Paris também atua como embaixadora da Elizabeth Taylor AIDS Foundation (ETAF) e é apaixonada por continuar o legado de sua madrinha de livrar-se do estigma e encontrar uma cura para a pandemia de HIV / AIDS.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!