Trabalhadores da Embraer aprovam proposta de suspensão de contrato

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Os metalúrgicos da Embraer aprovaram a proposta de acordo para suspensão de contratos de trabalho e redução de jornada com diminuição de salário, informaram a Embraer e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos. A votação ocorreu em assembleia virtual, organizada pelo sindicato.

A proposta aprovada prevê a suspensão temporária de contratos de trabalho por 60 dias, como forma de prevenção ao coronavírus. Nesse caso, haverá redução salarial de 17,5% a 36,35%. Para aqueles que cumprirão home office, a redução será de 25%.

O sindicato informou que, durante as negociações, posicionou-se contra a proposta da Embraer, por discordar principalmente de dois pontos: a permanência de cerca de mil funcionários dentro das fábricas e a redução salarial. No entanto, com a aprovação em assembleia virtual, o acordo coletivo entra em vigor no próximo dia 22.

“A Embraer está sendo irresponsável ao manter mais de mil trabalhadores nas fábricas. Estamos passando por um grave momento que deveria ser respeitado por todos, e não é o que estamos vendo por parte da Embraer”, afirmou Herbert Claros, diretor do sindicato. Para ele, a empresa está, além disso, colocando os funcionários em situação financeira crítica com os cortes salariais. “Tudo isso apenas para garantir os lucros dos acionistas. O sindicato já havia se manifestado contra a proposta, mas vai seguir sua tradição de respeitar a decisão tomada pelos trabalhadores em assembleia”, disse Claros.

Entre os 5.955 trabalhadores que participaram da assembleia, 5.485 (92,11%) votaram a favor, 353 (5,93%) contra e 117 (1,96%) abstiveram-se. A participação na assembleia foi de 80,41% do total de trabalhadores que o sindicato representa, que somam cerca de 7,4 mil.

A Embraer informou que as ações emergenciais e temporárias sugeridas terão duração de 60 a 90 dias e garantia de emprego por quatro meses a partir da assinatura do acordo ou pelo período correspondente ao tempo em que estiver em redução de jornada e salário ou suspensão do contrato, “o que for maior”. Segundo a empresa, os profissionais que desempenharão suas atividades em home office terão o emprego garantido pelo período correspondente ao que o colaborador estiver nessa condição.

Para os colaboradores em atividades essenciais e trabalho presencial, não haverá alterações na jornada ou salários, esclareceu a Embraer.

Segundo o sindicato, além de suspender contratos dos funcionários, a Embraer está cancelando os pedidos para as empresas fornecedoras de peças. “Essa medida está resultando em demissões em massa. A Status Usinagem, que tem a Embraer como principal cliente, anunciou a demissão de 75 trabalhadores e o fechamento de sua fábrica, na segunda-feira (13)”, informou a entidade.

Em nota, a Embraer informou que “permanecerá em contínuo diálogo com os clientes, fornecedores e governos para atender as necessidades essenciais do setor e da população, priorizando sempre a saúde e segurança dos seus colaboradores e a preservação de empregos”. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE
Don`t copy text!