Unesco estima que novo coronavírus tira mais de 20% dos alunos das salas de aula físicas

Mundo já tem 377 milhões de estudantes em 46 países sem frequentar a escola, mas total pode subir nos próximos dias e semanas; Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, organizou reunião de emergência com representantes de 73 países para decidir passos a tomar.

Um número recorde de crianças e jovens está fora da escola ou da universidade devido a interrupções causadas pelo receio de contaminação com o novo coronavírus. As medidas foram tomadas por vários governos com o objetivo de conter o covid-19.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, até meados da semana, 46 países, em quatro continentes, tinham fechado escolas e universidades. No total, 376,9 milhões de pessoas tinham sido afetadas. Mas o número pode subir nos próximos dias.

Aumento
Nas últimas semanas, outros 20 países fecharam escolas em apenas algumas cidades ou regiões. Se esses Estados avançarem com um encerramento geral, mais 500 milhões de crianças e jovens ficarão sem aulas.

A Unesco realizou uma videoconferência global para ajudar a coordenar a resposta e partilhar estratégias. Estiveram representados 73 países, incluindo 24 ministros da Educação e 15 vice-ministros.

A diretora geral da Unesco, Audrey Azoulay, disse que o mundo está “entrando em território desconhecido.” A agência está trabalhando para encontrar várias soluções, que podem usar tecnologia ou não, que permitam a continuação dos estudos.

Para Azoulay, “a cooperação internacional é vital para compartilhar as abordagens mais eficazes e apoiar estudantes, professores e famílias.” Ela disse que é importante assegurar “que a crise não aumente as desigualdades”, porque afeta de forma desproporcional os alunos mais carentes.

Esforços
A agência criou uma força de emergência para realizar estes esforços, que dará especial atenção aos países mais vulneráveis. Empresas privadas, como a Microsoft, estão oferecendo apoio técnico.

A Unesco também publicou uma lista com vários aplicativos e plataformas grátis que podem ser usados por pais, professores, alunos e sistemas escolares. O fechamento das escolas afeta mais os alunos vulneráveis.

A diretora-geral assistente de educação da Unesco, Stefania Giannini, disse que é pouco comum ter um número tão grande de países afetados pelo mesmo problema ao mesmo tempo.

Por isso, o mundo precisa se unir “não só para enfrentar as consequências imediatas dessa crise sem precedentes, mas para aumentar a resiliência a longo prazo dos sistemas educacionais.” Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!