Mesmo sem 15 atletas que testaram positivo pra covid-19, Goiás ataca mais que Palmeiras em SP

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Uma equipe ter 15 desfalques devido ao novo coronavírus (covid-19) chama atenção, mas trata-se de um cenário que deverá ser comum ao longo de um Campeonato Brasileiro, disputado em meio a uma pandemia que registra, em média, entre 40 a 45 mil novos casos por dia. Ainda assim, o Goiás não só conseguiu arrancar um empate por 1 a 1 com um Palmeiras praticamente completo, fora de casa, como teve chances para sair do Allianz Parque com a vitória.

Os índices do site SofaScore, especializado em estatísticas esportivas, mostram como o Esmeraldino equilibrou as ações diante do Verdão paulista, que, na prática, teve como desfalque apenas o zagueiro Felipe Melo, com uma lesão muscular. O Goiás teve menos posse de bola (34%), mas, finalizou em direção ao gol mais vezes que o Palmeiras (cinco, contra três). Apesar do rival ter a bola em 66% do tempo, o time comandado por Ney Franco foi pouco agredido.

“Foram dois tempos em que jogamos dentro da nossa proposta. No segundo tempo, o time fez um trabalho consistente, puxamos alguns contra-ataques. Tivemos uma estrutura defensiva muito boa. Jogamos muito bem, perfeitos taticamente. Além dos atletas sem condição, vínhamos de 100 dias sem um jogo oficial. Estamos pegando ritmo de jogo dentro do campeonato”, afirmou Franco, em entrevista coletiva, após a partida de sábado (15).

Entre os desfalques goianos – seja por contaminação pela covid-19, ou por ainda não terem recuperado a forma física – estavam jogadores importantes, como o goleiro Tadeu e o atacante Rafael Moura. O Goiás já tinha vivenciado problema semelhante na quarta-feira (12), contra o Athletico-PR, quando perdeu por 2 a 1, em Curitiba. No domingo passado (9), o time teve o duelo com o São Paulo adiado, por ser informado sobre os casos da doença horas antes da bola rolar.

No Allianz, o Palmeiras foi melhor nos primeiros minutos e abriu o placar aos 14, com o zagueiro paraguaio Gustavo Gómez, de cabeça, após cobrança de escanteio do meia Gabriel Menino. O gol acordou o Goiás, que passou a dominar as ações, chegando ao empate aos 39 minutos, em cobrança de falta de Rafael Vaz. O defensor bateu rasteiro e enganou a barreira, que saltou no momento do chute, acertando o canto esquerdo do goleiro Weverton.

A satisfação esmeraldina com o resultado na capital paulista contrastou com a irritação do técnico palmeirense, Vanderlei Luxemburgo. Em entrevista coletiva depois da partida, ele disse que deseja postura diferente dos comandados para a sequência do Brasileirão.

“Ou competimos em alto nível ou não vamos caminhar. O cara tem que entrar ligado ao máximo. Hoje, você tem cinco substituições. Se morrer, você troca o jogador. Precisamos mudar a rotação da equipe para o Campeonato Brasileiro, para brigarmos por [vaga na] Libertadores e pelo título. Tem tempo para recuperar, mas, depende só de nós”, declarou Luxemburgo.

Os Verdões voltam a campo na quarta-feira (19), pela quarta rodada. O Palmeiras, que ainda não venceu equipes da Série A em 2020, joga às 19h30 (horário de Brasília) contra o Athletico-PR,em Curitiba. Já o Goiás recebe o Fortaleza às 20h30. Confira AQUI a classificação da Série A do Brasileirão. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE
Don`t copy text!