Café das Montanhas do Espírito Santo ganha selo de Denominação de Origem

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Os Cafés das Montanhas do Espírito Santo tiveram sua Indicação Geográfica (IG) oficialmente reconhecida este mês junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). A partir de agora, esses cafés possuem seu registro na modalidade “Denominação de Origem” (DO), destacando a qualidade e notoriedade do café produzido na região.

O trabalho que culminou nesse reconhecimento foi estruturado pelo Sebrae/ES, em conjunto com diversos parceiros, como Incaper, Embrapa Café, Ifes, Ministério da Agricultura, Sicoob, prefeituras, entre outros, com consultoria do Instituto Inovates, cabendo destacar ainda a importância do papel da Acemes (Associação dos Produtores de Cafés Especiais das Montanhas do ES), que é a representante dos produtores locais junto ao INPI e responsável pela gestão desta Identidade Geográfica.

O processo de estruturação de uma Denominação de Origem demanda vários documentos técnicos/científicos, projetos e estudos para comprovar a vinculação do produto daquele território específico ao meio geográfico, ao chamado “terroir”, bem como a influência que os saberes, a cultura da região exerce sobre o produto final. Nesse ponto, foi fundamental a parceria do Ifes e Incaper, para as comprovações científicas requeridas.

“Essa é mais uma importante conquista para o Espírito Santo. Trata-se da segunda Denominação de Origem para cafés do Espírito Santo, o que demonstra a singularidade da nossa cafeicultura. A dedicação dos cafeicultores, o profissionalismo e a união das instituições parceiras nesse processo, culmina em mais esta conquista que merece ser celebrada por todos os capixabas”, explica o superintendente do Sebrae/ES, Pedro Rigo.

Sebrae/Divulgação

Entre os diversos benefícios da formalização do registro, além da valorização do produto e da região, há a promoção junto ao mercado internacional. O acordo Mercosul União Europeia, por exemplo, uma vez firmado, possibilitará o reconhecimento mútuo das IG das partes envolvidas, trazendo ganhos para as IG nacionais.

“Essa conquista é muito importante e benéfica não só para os produtores dos cafés, como também para todos os moradores da região, pois alavanca o agroturismo, turismo de negócios e de experiência, movimentando a economia local”, afirma Pedro Rigo.

A área geográfica da Denominação de Origem dos Cafés das Montanhas do Espírito Santo envolve 16 municípios: Afonso Cláudio, Alfredo Chaves, Brejetuba, Castelo, Conceição do Castelo, Domingos Martins, Iconha, Itaguaçu, Itarana, Marechal Floriano, Rio Novo do Sul, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, Santa Leopoldina, Vargem Alta e Venda Nova do Imigrante.

Além dos cafés das Montanhas Capixabas, o Café do Caparaó também já possui registro no INPI para a Denominação de Origem. O Conilon ES também reivindicou o selo da Indicação Geográfica e avança nas etapas exigidas para obter a certificação. Com Agência Sebrae de Notícias.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!