Recuperação de crédito recuou quase 3% em março

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista – registrou queda de 2,9% em março contra fevereiro, já descontados os efeitos sazonais. No acumulado em 12 meses (abril de 2019 a março de 2020), o indicador recuou 1,2%. Em relação ao mesmo mês do ano passado houve alta de 2,7%, enquanto no acumulado de janeiro até março do ano corrente a variação foi de 0,1%.

Em termos regionais, o acumulado 12 meses apresenta alta apenas na região Norte (1,6%). Em sentido oposto, na região Sul foi registrada a maior redução (-4,7%), seguida do Nordeste (-1%), Centro-Oeste (-0,8%) e Sudeste (-0,6%).

Na comparação mensal, contudo, todas as regiões registraram retração em março. Por outro lado, na comparação interanual (março de 2020 contra março de 2019), todas as regiões apresentaram variação positiva, com destaque para os avanços na Região Centro-Oeste (4,2%) e Sudeste (3,3%).

Além de registrar a terceira queda mensal consecutiva, o indicador de recuperação segue negativo na análise acumulada em 12 meses (-1,2% em março), mostrando a dificuldade que os consumidores com dívidas em atraso já estão enfrentando para reequilibrarem sua situação financeira e saírem do cadastro de inadimplentes.

Assim, apesar das medidas adotadas pelo governo para frear o aumento da inadimplência e estimular a atividade em meio ao cenário atual, com crescimento no nível de desemprego e piora na renda das famílias, a tendência é que o indicador continue apresentando resultados negativos no período mais agudo da crise.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!