Força-tarefa acelera combate à dengue em municípios com alta incidência do mosquito

Em alerta para a alta incidência de dengue, o município de Leme do Prado, no Vale do Jequitinhonha, região Norte de Minas, recebeu ações imediatas da Força-Tarefa Estadual de Combate à Dengue, nesta semana. Trabalho segue nos próximos dias.

A força-tarefa foi acionada a partir da análise de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) que, de janeiro até a primeira semana de fevereiro deste ano, registrou a notificação de 39 casos prováveis da doença no município.

“Em análises realizadas nas últimas quatro semanas epidemiológicas, o município de Leme do Prado chegou ao último nível de alerta para incidência da doença. O coeficiente de incidência, neste município, encontra se no valor de 793,5. A partir do valor de 500, já é classificado como de ‘muito alta incidência’. Tal informação motivou a solicitação, junto à Secretaria Estadual de Saúde (SES-MG), de uma intervenção estadual na localidade para fortalecer o trabalho realizado pelo município”, informa Mariana Cristina Rocha, coordenadora do Núcleo de Vigilância em Saúde da Regional de Diamantina.

Multiplicadores
A equipe enviada a Leme do Prado conta com seis servidores da vigilância Ambiental da Regional de Saúde de Sete Lagoas e um servidor do município de Diamantina, além de três servidores municipais que, juntos, realizaram ações para combater a alta proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, chikungunya e Zika Vírus.

Supervisor da força-tarefa do Estado que está atuando em Leme do Prado, Nilson Esteves detalha o trabalho da equipe no município. “Iniciamos as ações pela Mata da Cauã, um povoado que possui alto índice de infestação do mosquito. Estamos trabalhando forte na ação mecânica, que é a remoção dos materiais de foco do mosquito. Além disso, trabalhamos a conscientização da população em visitas às casas da comunidade. Fomos bem recebidos e esperamos que a comunidade compre a ideia da prevenção, que é o melhor caminho para se combater o mosquito e evitar as doenças”, esclarece Coutinho.

Mutirões de limpeza
Além da ação mecânica realizada pela força-tarefa, durante os próximos sete dias serão realizados mutirões de limpeza, ações educativas nas escolas, reuniões nas comunidades e o bloqueio químico do Aedes a partir da aplicação de inseticida em todo o município.

“A presença da força-tarefa estadual soma em muito às ações que já estamos realizando. Com a vinda de profissionais de fora, a população sentiu que a cidade está realmente em alerta máximo e que é necessário a mobilização de todos para revertermos essa situação”, observa Rustitaquinho Alves Gomes, secretário de saúde do município de Leme do Prado. “Tenho certeza que vamos conseguir erradicar essa doença em Leme do Prado”, conclui .

Ação educativa em escolas
Para fortalecer as ações no município, os servidores da Regional de Saúde de Diamantina, Kesley de Jesus e Valdemar de Souza, realizaram palestras na Escola Estadual Professora Flora Brasileira Pires Cesar, no distrito de Acauã, e na Escola Estadual Dom Pedro II, no distrito de Posses. O tema foi o combate ao Aedes aegypti e a importância da união da comunidade para evitar a doença.

“Estamos trabalhando com orientações sobre as medidas de controle das arboviroses no município por meio de ações educativas como a apresentação de vídeos e orientações direcionadas para crianças, jovens e adultos. Esperamos sensibilizar e mobilizar a comunidade nessa guerra contra o mosquito”, ressalta Kesley, referência técnica regional na temática arboviroses.

A força-tarefa também está no município de São Pedro dos Ferros, que faz parte da Regional de Saúde de Ponte Nova. A equipe – composta por cinco agentes de saúde e um coordenador – foi enviada para reforçar os trabalhos já previstos no Plano de Contingência local, que tem ações em andamento desde 2019. A equipe ficará na região até 21/2

Conforme consulta ao Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan) nesta quinta-feira (13/2), o município está com classificação de alta incidência de casos prováveis de dengue, com 215 notificações em uma população de 7.858 habitantes. A taxa de incidência é, no momento, de 2.736 notificações por 100 mil habitantes.

De acordo com o coordenador da força-tarefa, Valtemir Leal, o apoio estadual se dá por meio da remoção de inservíveis, casa a casa, além da eliminação de criadouros e de trabalho educativo junto à população, por meio de instruções de como evitar a proliferação do Aedes aegypti.

“Começamos as intervenções por Lagoa Seca e pretendemos alcançar os bairros prioritários, somando esforços para auxiliar o município na redução dos focos e, consequentemente, dos casos suspeitos. Mas sempre enfatizo: sem a colaboração da população não há como obtermos êxito”, diz.

Os supervisores de campo do Ministério de Saúde, Sebastião Moreira e Atos Stoffel, integrados ao quadro de servidores da Regional de Saúde de Ponte Nova na área de Vigilância Epidemiológica, também estão no município para colaborar com o trabalho. Moreira, que está responsável pelo veículo Ultra Baixo Volume (UBV pesado), mais conhecido como fumacê, explica como está sendo feito o reforço para controle vetorial.

“Percorreremos toda a cidade, ao todo nove bairros e 76 quarteirões. Passaremos pelo distrito de Águas Férreas, a 12 km da cidade, com 18 quarteirões. Trabalharemos em ciclos e monitoraremos as notificações. Caso haja queda, que é nosso objetivo, suspenderemos o UBV pesado”, relata.

Trabalho conjunto
De acordo com a coordenadora da área temática Vigilância em Saúde da Regional de Ponte Nova, Maria Goretti Fernandes, a atuação integrada é fundamental para o controle das arboviroses. “Viemos, como Regional, nos colocar à disposição para contribuir com a atuação do grupo estadual e com os demais trabalhos realizados em nível municipal, fortalecendo o delineamento de estratégias e a sua condução”, salienta.

Vale destacar que a Política Estadual para o Enfrentamento das Arboviroses, no seu Plano de Contingência 2019-2920, tem como objetivo geral evitar a ocorrência de óbitos. Sendo assim, todo o trabalho que está sendo realizado – tanto pelo município quanto pelo Governo do Estado – terá reflexos positivos para o alcance do objetivo desejado.

Atividade local
São Pedro dos Ferros tem realizado ações de combate ao vetor desde 2019, conforme relata a coordenadora local de Vigilância em Saúde, Nathália Faria. “Realizamos visitas domiciliares, mutirão de limpeza em todos os bairros, inclusive na zona rural, atividades de educação em saúde com todos os moradores e também com os profissionais da área, como foco no manejo clínico, entre outras atividades. No distrito de Águas Férreas, efetuamos a vedação com tela em caixas d’água, reservatórios e tambores, somada a evento de mobilização social com passeata da comunidade escolar”, elenca.

Para ela, cada morador é responsável por zelar por seu espaço, eliminando água parada e lixo acumulado. “Se as pessoas não contribuírem individualmente contra o mosquito, o fumacê e todo o apoio da Força Tarefa que estamos recebendo não será suficiente. As doenças causadas pelo Aedes podem causar internações em idosos, crianças, gestantes e população em geral. Temos que enfrentar o atual cenário epidêmico juntos e com coragem, para sairmos vencedores desta luta”, afirma. Com Agência Minas

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!