Agricultores mineiros prejudicados por rompimento de barragem recebem auxílio para melhorar produção

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Divulgação/Emater-MG

Um convênio assinado entre a Associação Sapucaia do Norte, do município de Galileia, no Vale do Rio Doce, e a Fundação Banco do Brasil irá beneficiar os agricultores familiares que foram prejudicados pelo rompimento da barragem do Fundão, da mineradora Samarco, em novembro de 2015.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Com o convênio no valor de R$ 250 mil, a fundo perdido, a associação irá receber um trator, implementos agrícolas (arado, plantadeira, colhedeira, etc), além de contar com o serviço de construção de barraginhas para a captação e infiltração da água da chuva no solo.

Todo o projeto técnico para a elaboração do convênio foi feito pela Emater-MG. A solenidade de oficialização do acordo ocorreu na sexta-feira (13), na comunidade Sapucaia do Norte.

“Cerca de 60 agricultores serão diretamente beneficiados. Mas este número irá crescer, já que o trator poderá ser alugado para outros produtores quando não estiver sendo utilizado pela comunidade”, explica o técnico agrícola da Emater-MG, Geraldo Júnior Rios.

O convênio com a Fundação Banco do Brasil faz parte de um projeto para fomentar a economia e recuperar áreas ambientais de pequenos municípios prejudicados pelo rompimento da barragem.

“Aqui em Galileia, além da morte de peixes por causa da lama, os produtores tiveram que deslocar os animais que utilizavam o rio para beber água. A irrigação para pastagem também foi prejudicada. Além disso, algumas áreas de pastagem mais baixas, às margens do rio, foram atingidas”, explica o técnico da Emater-MG. A principal fonte de renda dos agricultores familiares da Galileia é a pecuária leiteira.

Outras ações
Em dezembro de 2016, a Emater-MG e a Fundação Renova assinaram um contrato de prestação de serviços para a recuperação das propriedades atingidas pelo rompimento da barragem do Fundão.

O contrato, no valor de R$ 806 mil, prevê um diagnóstico feito pela Emater-MG das cerca de 300 propriedades atingidas nos municípios de Mariana, Ponte Nova, Barra Longa e Rio Doce. Também será elaborado um plano de adequação socieconômica e ambiental dessas propriedades. A vigência do contrato é de oito meses.

A Fundação Renova é uma instituição autônoma e independente constituída para reparar os danos causados pelo rompimento da barragem. Entidade privada, sem fins lucrativos, ela foi estabelecida por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta (TTAC) assinado, em março de 2016, entre Samarco, suas acionistas, os governos federal e dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes, Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai, secretarias de Meio Ambiente). Com Agência Minas

PUBLICIDADE
Don`t copy text!