ONU pede que manifestantes deixem passar suprimentos médicos na Bolívia

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A ONU pediu que os organizadores dos protestos na Bolívia garantam a passagem segura de ambulâncias, reservas de oxigênio e medicamentos e permitam que bens e serviços essenciais cheguem à população.

Em nota emitida pelo seu porta-voz, o secretário-geral António Guterres destaca que tem acompanhado com preocupação os recentes eventos no país.

Saúde e economia
Agências de notícias informaram haver dezenas de bloqueios de estradas durante as manifestações onde milhões de pessoas contestam o adiamento das eleições devido à pandemia, de 6 de setembro para 18 de outubro. O impacto dessas demonstrações é sentido em áreas como saúde e economia.

De acordo com relatos das agências, alguns centros hospitalares informaram que foi impedida a passagem de material essencial para atender pacientes com o novo coronavírus.

O secretário-geral incentivou o diálogo para resolver desafios nas áreas política, social, econômica e da saúde. Ele elogia os representantes do Executivo, da Assembleia Legislativa Plurinacional e do Tribunal Supremo Eleitoral, bem como dos partidos políticos e organizações sociais.

Moderação
Guterres apela à moderação contínua das partes envolvidas para evitar a escalada. O secretário-geral também pediu “a todos os líderes sociais e políticos para contribuírem para a preservação da paz”.

António Guterres termina a nota reiterando o apoio das Nações Unidas à realização de eleições transparentes, credíveis e inclusivas e ao pleno respeito pelos direitos civis e políticos de todos os bolivianos. Com ONU News

PUBLICIDADE
Don`t copy text!