Análises em amostras de esgoto indicam que pico de infecção pela COVID-19 em BH já ocorreu

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Projeto-piloto Monitoramento COVID Esgotos aponta redução do número de casos da COVID-19 para o patamar de 200 mil pessoas em Belo Horizonte. Capital mineira já chegou a ter uma estimativa de aproximadamente 850 mil pessoas contaminadas na semana epidemiológica 30

O Boletim de Acompanhamento nº 11/2020 do projeto-piloto Monitoramento COVID Esgotos divulgado nesta sexta-feira, 14 de agosto, confirma a tendência de queda do número de casos da COVID-19 em Belo Horizonte (MG). Segundo os pesquisadores, os resultados “mostram um declínio expressivo na semana epidemiológica 32, retornando ao patamar de cerca de 200 mil pessoas, o mesmo observado nas semanas epidemiológicas 25 e 26 (15 a 26 de junho).”.

“O número de casos notificados apresenta tendência similar de queda nas duas últimas semanas epidemiológicas (31 e 32). Estes resultados sugerem que o pior momento da curva epidêmica de Belo Horizonte ocorreu entre as semanas epidemiológicas 27 e 31”.

O projeto Monitoramento COVID Esgotos é uma iniciativa conjunta da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto (INCT ETEs Sustentáveis/UFMG), em parceria com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA), o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM) e a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

Pela nona semana consecutiva 100% das amostras coletadas na sub-bacia de esgotamento do ribeirão do Arrudas apresentaram o novo coronavírus. Já na sub-bacia do ribeirão do Onça, pela 11ª semana seguida todas as amostras tiveram o registro do vírus.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!