Empresas otimistas com possível aumento de faturamento em 2022

A maioria das empresas está otimista em relação ao aumento do faturamento em 2022, segundo pesquisa realizada pela empresa de inteligência analítica Boa Vista no primeiro trimestre de 2022. 75% esperam crescimento, enquanto apenas 14% creem em estabilidade e 11%, em queda. Os números representam um aumento entre os empresários otimistas em relação ao faturamento, uma vez que no trimestre anterior eram 68% os que esperavam crescimento. Na comparação com o mesmo trimestre de 2021, o aumento é ainda maior, já que, à época, os otimistas eram 40%.

“A pesquisa mostra que há uma expectativa positiva crescente entre os empresários. Principalmente quando comparamos o momento atual com o de exatamente um ano atrás, quando o país passava pelo pior momento da pandemia, e diversas restrições ao comércio estavam em prática em boa parte dos estados”, afirma Flavio Calife, economista da Boa Vista.

Mais investimentos
A pesquisa aponta ainda que 69% dos empresários consultados pretendem aumentar os investimentos em seus negócios até o fim de 2022. No trimestre anterior, estes eram 61%, e no 1º trimestre de 2021, eram só 37%.

Sobre novos investimentos em produtos e serviços, 67% das empresas planejam aumentá-los até o fim de 2022. Já sobre investimentos em tecnologia, são 66% as empresas que planejam aumentar os investimentos nessa área. Por fim, questionados sobre investimentos em capacitação de mão de obra, 65% dos entrevistados pretendem aumentá-los.

Junto à necessidade de investir para gerar crescimento, o estudo também apresenta que 55% dos empresários esperam diminuição relevante no nível de endividamento de suas empresas; 30% acreditam que os índices devem se manter os mesmos, e outros 15% apostam no seu aumento.

Inadimplência e crédito
Em relação ao nível de inadimplência das empresas, 41% dos empresários ouvidos neste primeiro trimestre esperam diminuição até o final de 2022. Estes eram 45% no último trimestre de 2021 e 23% no primeiro trimestre de 2021. Neste primeiro trimestre de 2022, outros 39% esperam estabilidade, e 20% creem que os níveis de inadimplência irão aumentar.

Por fim, a pesquisa da Boa Vista apontou crescimento na intenção de demanda por crédito. Ao final do 4º trimestre de 2021, o registro foi de 33%, contra 66% neste primeiro trimestre de 2022. Neste universo de 66%, a contratação de crédito terá por objetivo realizar investimentos, com 49% das menções, contra 34% no primeiro trimestre de 2021. 35% demandarão crédito para garantir o capital de giro, contra 26% no primeiro trimestre de 2021; enquanto 16% têm como prioridade o pagamento das dívidas já contratadas, contra 40% no mesmo período do ano passado. Com informações da Assessoria de Imprensa da Boa Vista.

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!