Trem para Inhotim pode facilitar a retomada de linhas de passageiros

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A permissão para se implantar um trem turístico entre Belo Horizonte e Inhotim, no município de Brumadinho (RMBH), foi comemorada por participantes de audiência pública realizada na quinta-feira (11), pela Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Por outro lado, eles reafirmaram continuar a defesa pela retomada dos trens de passageiros nas linhas já existentes no Estado.

“É uma conquista, mas queremos mais.É possível a volta do trem de passageiros em massa”, afirmou a deputada Marília Campos (PT). O vice-presidente da comissão, Gustavo Mitre (PSC), que conduziu a reunião, reforçou o pensamento da colega. “A meta dessa comissão é ampliar o transporte ferroviário”, completou.

Nesta semana a MRS Logística, empresa que detém a concessão da linha que liga os dois municípios, encaminhou ao Ministério do Turismo uma carta de anuência permitindo a continuidade do projeto do trem turístico, que há mais de dez anos vem sendo proposto pela Associação de Preservação das Tradições e do Patrimônio Cultural de Santa Bárbara (Apito) e reivindicado por outras entidades de defesa do transporte ferroviário.

O vereador do município de Sarzedo (RMBH), Marcos Antônio de Almeida, que faz parte da Associação Trem Bom de Minas, reconheceu a importância da notícia, mas ponderou que a linha BH-Inhotim vai atender apenas uma parcela da população, o turista, que pertence a uma classe econômica mais privilegiada.

“Temos que ser sensíveis à população que sofre”, disse ele, ao citar as pessoas que enfrentam transporte precário em ônibus lotados para se locomoverem entre as cidades da região e a Capital.

Já o diretor da organização não governamental (ONG) Trem, André Louis Tenuta Azevedo, ponderou que a oportunidade deve ser usada como uma estratégia para retomar o transporte ferroviário de passageiros. “A demanda é diferente, vamos conquistando aos poucos”, disse.

André Tenuta lembrou que a anuência da MRS só aconteceu em função do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, que trouxe grande comoção social. “A gente deve essa abertura à vida dessas pessoas, o que é lamentável”, completou.

Providências
O subsecretário de Regulação de Transportes da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas, Diogo Oscar Borges Prosdocimi, informou que na próxima semana deve ser realizada uma reunião com a Apito, técnicos do governo e a comissão da Assembleia para discutir os trâmites, as demandas e providências necessárias, além de estudos e análises técnicas para dar início à operação do trem turístico.

O presidente da Apito, que é uma organização da sociedade civil de interesse público (oscip), Sérgio Motta Mello, explicou que a previsão é utilizar dois vagões em três horários de viagens por dia, saindo dos dois pontos (Belo Horizonte e Inhotim), às 6, 12 e 18 horas. O percurso será percorrido em até uma hora e meia. Atualmente, as viagens de ônibus demoram mais de 2 horas.

Vale é cobrada a reativar trechos ferroviários
Parlamentares e participantes da audiência também concordaram que o retorno do trem turístico reforça a chance de exigir que a mineradora Vale reabra as linhas férreas que desativou em Minas Gerais como medida compensatória pelos danos que causou com o rompimento das barragens em Brumadinho e Mariana.

“Está na hora da Vale ser chamada a repor muito coisa que se acabou”, cobrou André Tenuta. Ele citou, como exemplo, o trecho entre Belo Horizonte e Ouro Preto (Central), que foi utilizado por mais de 120 anos transportando passageiros entre as duas cidades.

“É preciso garantir o transporte de massa, senão o trem vai passar e vamos perder o bonde”, disse a deputada Marília Campos. Ela reforçou que estão sendo negociadas, ainda, a renovação de muitas concessões e que é preciso garantir que os recursos sejam alocados para Minas Gerais.

Sérgio Mello lembrou que existem 80 vagões abandonados nos municípios de Santos Dumont (Zona da Mata), que podem ser recuperados para retomar o transporte. “É hora de exigir da Vale tudo que ela nos tirou”, emendou.

Subsecretário apresenta demandas
Na audiência pública, o subsecretário Diogo Prosdocimi apresentou demandas levantadas pelo governo estadual para o incremento do transporte ferroviário no Estado, sobretudo com relação ao transporte de cargas, melhorando a logística em território mineiro. Segundo ele, o Executivo ainda quer discutir com a ALMG para estabelecer uma lista de prioridades para o setor.

No Plano Estratégico de Logística de Transportes (Pelt), foram identificados cinco principais projetos que podem ser avaliados:

  • reativação do trecho Corinto/Pirapora (Norte);
  • construção do ramal Pirapora/Unaí (Norte/Noroeste);
  • construção dos trechos Patrocínio (Alto Paranaíba)/Prudente de Morais (RMBH), Dores do Indaiá/Franklin Sampaio (Centro-Oeste) e Rio Paranaíba/Ibiá (Alto Paranaíba);
  • travessia de Belo Horizonte
  • construção dos contornos de Itaúna, Divinópolis e Santo Antônio do Monte (Centro-Oeste).

Ao todo, estimam-se mais de R$ 30 milhões de investimentos.

Audiências
Durante a reunião foram aprovados requerimentos para a realização de três audiências públicas e uma visita, dois deles de autoria de Marília Campos.

A deputada sugere uma reunião para debater a utilização concomitante do trem turístico a ser implantado entre Belo Horizonte e Brumadinho, no trecho operado pela MRS Logística, para o transporte em massa de passageiros. Também requer uma visita à Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas para acompanhar a reunião que discutirá a implantação do trem turístico entre os dois municípios.

O deputado Gustavo Mitre sugere a audiência para esclarecer o suposto deslocamento de vagões do município de Oliveira (Centro-Oeste) para o pátio da empresa Valor Logística Integrada (VLI), em Bom Sucesso (Centro-Oeste), com a finalidade de desmanche e sucateamento dos vagões.

Por fim, Coronel Henrique (PSL) quer reunião para debater a implantação de uma linha de transporte ferroviário de passageiros entre Barbacena (Central) e Santos Dumont (Zona da Mata). Com ALMG

PUBLICIDADE
Don`t copy text!