OMS propõe reavaliação de investimentos para ampliar acesso à saúde

A Organização Mundial da Saúde (OMS), lançou o terceiro relatório do Conselho de Economia da Saúde para Todos, que propõe uma reavaliação de como o valor em saúde e bem-estar é medido, produzido e distribuído.

O grupo notou que, em meio a pandemia de Covid-19, durante o ano de 2020, o PIB global subiu em US$ 2,2 trilhões por causa dos gastos com armamentos. Enquanto isso, US$ 50 bilhões eram necessários para vacinar o mundo inteiro.

Prioridades
Segundo a OMS, dessa quantia, US$ 23 bilhões seriam necessários para financiar as iniciativas de aceleração da agência.

Criado em novembro de 2020, o Conselho de Economia da Saúde para Todos da OMS busca reformular a saúde para ampliar o acesso aos serviços como um objetivo de política pública. O grupo de trabalho avalia o investimento nos sistemas de saúde locais e globais para o futuro, não como um custo de curto prazo.

Na publicação divulgada, o Conselho propõe valores fundamentais, como a valorização da saúde planetária, das diversas bases sociais e atividades que promovem a equidade e da saúde e bem-estar humano.

Pilares
Com o foco em avaliar o valor atribuído à saúde, a publicação se baseia em dois pilares: as necessidades sociais para colocar a saúde universal como tema central e a criação de métricas para orientar e avaliar a reformulação da economia para alcançar esse objetivo.

De acordo com a OMS, é necessário que as sociedades estejam preparadas em vez de serem surpreendidas com possíveis novas crises sanitárias, como aconteceu com a pandemia de Covid-19.

O documento ainda traz recomendações e aponta os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável como guia para trazer o bem-estar humano de volta ao centro da priorização de desenvolvimento para o futuro. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!