Primeiras propostas de modernização do estatuto do Cruzeiro são apresentadas

Desejo antigo dos torcedores, o projeto de modernização do Estatuto do Cruzeiro Esporte Clube ganhou novos contornos nos últimos meses. Em um intenso trabalho desenvolvido pelo Departamento Jurídico da Raposa desde janeiro, o setor elaborou um esboço com propostas de mudanças em diversos pontos do regimento do Clube, que neste primeiro momento teria apenas alterações na parte administrativa, e futuramente traria inovações na área eleitoral.

Seguindo premissas como Compliance, Gestão e Transparência, a minuta inicial do novo Estatuto traz pontos importantes para garantir transparência e segurança ao Cruzeiro e regras mais rígidas para responsabilização de dirigentes no caso de descumprimento de regras.

Confira algumas propostas:

– Criação de um programa de cargos e salários, algo inexistente no Cruzeiro, em que a remuneração dos colaboradores deverá seguir os parâmetros praticados no mercado, não podendo superar o teto do funcionalismo público federal. Este documento deverá ser apresentado e aprovado pelo Conselho Deliberativo;

– No caso de salários de atletas e comissão técnica e de outras contratações que ultrapassem mil salários mínimos, os casos deverão ser apresentados e aprovados pelo Conselho de Administração;

– Obrigatoriedade de apresentação de proposta orçamentária anual do Clube por parte do presidente;

– Exigência de formação superior em Administração, Ciências Contábeis, Direito, Economia ou Engenharia para integrar o Conselho Fiscal;

– Regras mais rígidas para a punição de dirigentes que descumprirem o Estatuto;

– Regras mais claras para demonstrações contábeis, seguindo padrões de transparência e regras do PROFUT;

– Obrigatoriedade de contratação anual de auditoria independente, com registro na CVM (Comissão de Valores Mobiliários);

– Responsabilização de dirigentes na gestão dos orçamentos anuais. O limite de gastos é até 5% acima do valor previsto no ano;

– Inclusão do Conselho de Notáveis, que prestará auxílio consultivo, e do Conselho de Administração, que terá envolvimento direto na gestão do Clube. Ambos terão a participação de conselheiros independentes;

De acordo com Kris Brettas, superintendente jurídico do Cruzeiro, as mudanças trarão grandes benefícios ao Clube, e ele destacou os próximos passos para a aprovação do Estatuto.

“Propostas orçamentárias definidas e uma gestão correta do orçamento trarão muitos ganhos ao Cruzeiro. O presidente apresentará o plano orçamentário e, se aprovado pelo Conselho Deliberativo, deverá segui-lo ciente das punições que poderá sofrer caso não o cumpra. Esta minuta ainda está sendo finalizada e será apresentada ao Núcleo Dirigente Transitório. Após esta etapa, será criada uma comissão de conselheiros para que este documento possa ser discutido e para também sugestão de ideias. Posteriormente poderá ser levado à votação”, considerou. Com site do Cruzeiro

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!