Carnaval movimenta a economia e coloca Minas Gerais entre os destaques nacionais

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Em ritmo de Carnaval, Minas Gerais acaba de ser listada entre os três estados brasileiros que mais movimentam a economia por meio do turismo durante o maior feriado do calendário brasileiro, conforme informações da pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

As movimentações em Minas Gerais, que ocupa o terceiro lugar no ranking, atrás apenas do Rio de Janeiro e São Paulo, chegam a R$ 332,7 milhões. Girando toda a cadeia do turismo, o Carnaval gera receita em diversos setores, com destaque para o transporte, hotéis e alimentação. Além disso, o momento gera emprego e renda junto às esferas envolvidas.

“É com grande alegria e satisfação que Minas Gerais recebe essa notícia. As atividades turísticas estão voltadas para o bem estar dos nossos visitantes que, com certeza, serão bem recebidos em todos os municípios mineiros”, declara o secretário de Estado de Turismo de Minas Gerais, Ricardo Faria.

A festa promete atrair foliões de todas as idades para as mais diversas opções de lazer. Blocos de rua, bonecos caricatos, festas tradicionais, trio elétrico, folclore e muita animação fazem parte dessa diversidade de estilos.

“Ressalto nosso convite para que os turistas venham se divertir em Minas Gerais e apreciar nossas festas. Nosso Estado está preparado para receber os visitantes que desejam curtir o Carnaval em ritmo de folia, para apreciar nossa cultura, natureza e também para aproveitar o feriado descansando”, convida Ricardo Faria.

Faturamento alto
O economista da CNC, Fabio Bentes, explica a posição de Minas Gerais à frente da Bahia, cuja capital, Salvador, preserva um dos carnavais mais tradicionais do país. “Isso se justifica porque a pesquisa não se restringe à folia e sim sobre o faturamento das atividades que atendem ao turismo nesta época do ano”, esclarece.

O levantamento da CNC considerou sete conjuntos de atividades: alojamento, alimentação, atividades artísticas, esportivas e de lazer, agências de viagens, transporte rodoviário, transporte aéreo e outros transportes e locação de veículos.

“Minas Gerais, por exemplo, tem o maior número de municípios e muitos usam as estradas para se deslocar, seja para ir ou fugir da folia. Com isso, o transporte rodoviário acaba sendo muito impactado”, ressalta o economista para exemplificar o grande impacto dos gastos com combustíveis (etanol, óleo diesel, álcool, gasolina e gás veicular) e transporte (carro e ônibus) na economia mineira nesta época do ano.

“Outro dado é que a pesquisa não leva em consideração a movimentação do número de turistas. Não atrelamos a variação de turistas ao faturamento”, finaliza Bentes. Destaca-se, ainda, que o estudo da CNC levou em consideração apenas empresas formais. Aqueles que trabalham na informalidade, como ambulantes, não foram considerados. Com Agência Brasil

PUBLICIDADE
Don`t copy text!