Projeto do passe-livre para pessoas com deficiência e idosos está pronto para votação em Plenário

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Está pronto para ser votado pelo Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em 1º turno, o Projeto de Resolução (PRE) 7/15, de autoria do deputado Sargento Rodrigues (PTB), que busca impedir que a concessão do passe-livre a pessoas com deficiência física, mental e visual e às pessoas com idade superior a 65 anos, em transporte coletivo intermunicipal, seja condicionada à apresentação de atestado, expedido por autoridade competente, de que os beneficiários sejam “pobres no sentido legal”.

Em reunião realizada ontem (10), a Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária (FFO) da ALMG aprovou parecer favorável à aprovação do projeto, na forma original, em 1º turno.

O objetivo da proposição é sustar exigências previstas no Decreto 32.649, de 1991, que regulamenta a Lei 9.760, de 1989. Esta lei concede o passe-livre aos usuários já mencionados, no transporte intermunicipal.

Mais especificamente, o projeto visa sustar os efeitos da alínea “b” do parágrafo 1º do artigo 5º do decreto, que prevê como requisito, para a concessão do passe-livre, um atestado de que o beneficiário é pobre no sentido legal, expedido por autoridade competente.

O PRE também anula os efeitos do artigo 11 do citado decreto, que dispõe que o Estado celebrará convênio com as empresas de transporte coletivo intermunicipal para estabelecer as condições e assegurar-lhes a indenização referente aos custos decorrentes da concessão do benefício aos deficientes físicos, de que trata o decreto em questão.

O relator na FFO, deputado Virgílio Guimarães (PT), concordou com a avaliação da comissão anterior, a Comissão de Transporte, Comunicação e Obras Públicas, de que o decreto extrapolou o limite do poder de regulamentação, que cabe ao Executivo, ao estabelecer condições que não estão previstas na Lei 9.760.

O deputado Sargento Rodrigues afirmou que o objetivo do PRE 7/15 é fazer com que a lei seja cumprida na sua integralidade. A deputada Laura Serrano (Novo) defendeu o mérito da proposição e enfatizou que ela desburocratiza a iniciativa do passe-livre. Contudo, ela ponderou que a mudança vai gerar um aumento da tarifa para usuários do transporte público de modo geral, uma vez que vai ampliar a isenção. Com ALMG

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!