Pandemia trará consequências arrasadoras socioeconômicas para mulheres e meninas

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

As Nações Unidas lançaram um relatório sobre o impacto da pandemia de covid-19 sobre os avanços alcançados, durante décadas, para a igualdade de gênero.

O documento revela que a pandemia pode reverter conquistas sobre os direitos das mulheres e pede que a liderança e a contribuição femininas sejam o centro dos esforços de recuperação contra o novo coronavírus.

Economia informal
Em mensagem de vídeo, o secretário-geral da ONU Antonio Guterres ressaltou que cerca de 60% das mulheres em todo o mundo trabalham na economia informal, recebendo salários menores e sob grande risco de cair na pobreza.

Antonio Guterres também expressou preocupação com a perda de milhões de postos de trabalho pelas mulheres e com o duplo fardo que elas têm de cuidar das crianças e dos idosos, em trabalhos não-remunerados.

Governos
O chefe da ONU pediu aos governos de todo o mundo que incluam mulheres e meninas nos processos de decisão para a recuperação. Segundo ele, muitas adolescentes que agora estão fora da escola por causa da quarentena podem não retornar aos bancos escolares.

Ao comentar os programas de incentivo fiscal e empréstimos, Guterres disse que as linhas de crédito devem priorizar as mulheres. Além disso, ele defende que os sistemas de previdência social devem ser expandidos.

Violência doméstica
O relatório da ONU sugere que a pandemia e as medidas de enfrentamento estão levando a um aumento nos casos de violência doméstica.

Dados oficiais revelam que somente no ano passado, uma em cada cinco mulheres foi vítima de violência. E muitos dos agressores estão em casa por causa da quarentena.

António Guterres também citou os desafios que a pandemia do novo coronavírus impôs aos sistemas de saúde de todo o mundo, e como o mundo deve se unir para superar essa situação e construir um futuro melhor para todos. Com ONU News

PUBLICIDADE
Don`t copy text!