ONU pede resolução urgente da situação migrantes e de refugiados entre Polônia e Belarus

Várias agências das Nações Unidas estão pedindo uma resolução imediata da crise no limite entre Polônia e Belarus. Há relatos de migrantes e de refugiados, incluindo mulheres e crianças, tentando atravessar para a Polônia, mas o país já colocou reforço policial nas fronteiras para impedir a entrada dos civis, segundo agências de notícias.

A Agência da ONU para Refugiados (Acnur), e a Organização Internacional para Migrações (OIM), estão em contato com os governos dos dois países, pedindo que a questão seja resolvida com urgência e fazendo um apelo para que o acesso do grupo de pessoas seja permitido.

Mortes trágicas
Segundo o porta-voz do secretário-geral da ONU, a situação é marcada por tragédias, com várias mortes sendo registradas nas últimas semanas. Por isso, as agências da organização lembram aos países ser “imperativo prevenir mais perdas de vidas e garantir o tratamento humano de todos os migrantes e refugiados”.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, também acompanha a situação e expressa grande “preocupação com a terrível situação das crianças que buscam asilo na Europa e nas fronteiras.”

Situação chocante
O Unicef menciona relatos de crianças vivendo em péssimas condições, sendo obrigadas a voltar ou sendo detidas nas fronteiras do leste da União Europeia. A entidade destaca que além de ser uma situação “chocante”, as medidas violam a Convenção dos Direitos da Criança.

Segundo o Unicef, todos os menores de idade e suas famílias têm “o direito de buscar asilo e precisam ter sua proteção avaliada de forma individual”.

A agência reconhece a soberania dos países e o desafio imposto pela onda de migração irregular, além da necessidade de garantir que o controle das fronteiras seja feito de forma segura.

Ao mesmo tempo, o Unicef também condena o uso da força, pois “viola a lei internacional e coloca a vida das crianças em risco, sem nem levar em consideração o que é de melhor interesse para os menores”.

O fundo pede “renovação do compromisso político para que todas as crianças na Europa sejam protegidas, independente da sua condição migratória.” Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!