Zagueiro Léo reforça foco total do Cruzeiro em jogo decisivo da Copa do Brasil

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Foto: Vinnícius Silva/Cruzeiro

Após mais uma rodada do Campeonato Brasileiro, o elenco do Cruzeiro se reapresentou na tarde desta segunda-feira para o início da preparação visando o duelo de ida da semifinal da Copa do Brasil, quarta-feira, às 21h45, em São Paulo, contra o Palmeiras.

O experiente zagueiro Léo sabe das dificuldades do confronto e frisa a importância de entrar em campo com o pensamento de que a classificação é definida em 180 minutos.

“Já viramos a chave para quarta-feira, jogo importantíssimo, altamente decisivo. Um jogo de 180 minutos, em que a gente espera também fazer uma boa partida já nos primeiros 90. A equipe do Palmeiras vem se entregando em campo, marcando bastante, mas a gente espera montar uma estratégia boa também, para que possamos sair com um bom resultado de lá”, garante o camisa 3.

“A gente sempre encara cada jogo de uma maneira diferente. Sempre procuramos o resultado, mas cada questão tem seu ponto estratégico. Nós sabemos que o jogo fora de casa tende a ser difícil, mas o adversário as vezes abre mais espaço para explorarmos. É no final de 180 minutos que vale o placar”, completou o defensor.

Dedé

Nos Estados Unidos com a Seleção Brasileira, o zagueiro Dedé é esperado para o jogo de quarta, em São Paulo. Para Léo, a presença do parceiro de defesa é de grande importância para a equipe celeste.

“A gente tem um elenco forte, de qualidade, com peças importantes. A questão é que em um jogo decisivo todo jogador é importante, ainda mais uma figura como o Dedé. É importante todos nós estarmos juntos unindo forças”.

Árbitro de vídeo

Assim como nas quartas de final, a Copa do Brasil segue com o auxílio do árbitro de vídeo até a decisão da competição. Para Léo, essa ferramenta é importante para minimizar os erros.

“Em alguns jogos fomos prejudicados pela arbitragem. Tem se tornado uma rotina. É muita coisa em jogo, como um gol, um lance, e a responsabilidade do árbitro acaba se multiplicando. Em 2010 acabamos perdendo um título em um jogo contra o Corinthians. Acredito que o VAR ajuda a dividir um pouco a responsabilidade do árbitro, mas as coisas precisam ser bem avaliadas com critérios bem específicos para que as partidas possam ser mais justas”. Com site do Cruzeiro

PUBLICIDADE
Don`t copy text!