Páscoa será comemorada, mas com mudanças nos costumes das famílias

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

A Páscoa será a primeira data comemorativa do ano na qual serão perceptíveis os efeitos das medidas adotadas para combater o avanço do novo coronavírus no país. Em uma sondagem extra feita nas duas últimas semanas, a Boa Vista constatou que a maioria dos entrevistados vai comemorar o feriado religioso, mas com algumas mudanças, principalmente para respeitar o distanciamento social.

De acordo com a pesquisa, 48% dos entrevistados irão comemorar a data apenas com as pessoas que moram na casa, sem se reunir com outros membros da família. 35% irão comemorar à distância, conectando-se aos demais familiares, ou por telefone ou chamadas de vídeo. Outros 17% cancelaram viagens programadas e irão ficar em casa.

Diante do novo cenário, 75% dos entrevistados já revisaram o orçamento familiar, uma vez que sentem dificuldades para manter as contas em dia. Por conta das incertezas deste novo cenário, 35% informaram que, para este e os próximos meses, irão priorizar as contas da casa, como as de água, energia, aluguel e condomínio. 30% compras de alimentos e 35% irão reduzir os gastos com lazer e outras despesas supérfluas.

A maioria (55%) também confirmou que apesar de estar se adequando as recomendações para ajudar a conter o avanço do novo coronavírus, ainda tem feito compras de alimentos nos mesmos locais de costume, preferindo assim as lojas físicas. Outros 45% têm feito de forma online (delivery). Destes 45%, em 87% dos casos, as compras online representam uma mudança no comportamento de compra do consumidor, que antes buscava suprir as necessidades de compras nas lojas físicas. Para outros 13%, fazer compras online já era um hábito.

Sondagem anterior à crise
Em sua tradicional pesquisa Hábitos de Consumo para a Páscoa, finalizada na semana antes da pandemia e feita com pouco mais de mil entrevistados em todo o país, a Boa Vista havia constatado que para 67% dos entrevistados, a Páscoa gera gastos extras, principalmente com despesas de supermercado (46%), compra de chocolates (38%), e gastos com lazer e viagens (16%).

Quando questionados sobre a pretensão de gastos para a data, 48% informaram que manteriam o padrão do ano anterior, 27% que gastariam mais e 25% gastariam menos que em 2019. E o ticket médio neste ano seria de R$ 102, contra R$ 72 registrados em 2019, um crescimento de 23%.

Além da compra dos itens de Páscoa, 39% já previam gastos com alimentos, 26% com outros itens para a casa, viagens e lazer, e 35% que não gastariam com itens diferentes dos tradicionais de Páscoa. Por fim, 78% dos consumidores pretendiam pagar as despesas gerais da Páscoa à vista e apenas 22% iriam parcelar estes gastos.

PUBLICIDADE
Don`t copy text!