9 fatos sobre Buck, o cachorro que estrela O Chamado da Floresta

Chega ao Disney+ o novo filme estrelado por Harrison Ford, O Chamado da Floresta. A história acompanha Buck, um cachorro de estimação que acaba parando sem querer no Alasca, e seu encontro com o explorador John Thorton (Ford). O longa se junta a outros filmes exclusivos como Apresentando, Nate, Soul e Red – Crescer é uma fera’

O longa é uma adaptação do clássico romance de Jack London, lançado em 1903.

Embora o filme não seja completamente fiel ao livro, o protagonista da história continua sendo Buck e suas aventuras. Para você mergulhar nesse mundo selvagem junto com nosso heroi canino, preparamos algumas curiosidades sobre ele.

Buck foi baseado em um cachorro real
Jack London realmente foi para o Alasca, e muito de sua experiência lá influenciou a escrita de seu romance.

Lá, ele ficou com os irmãos Marshall e Louis Whitford Bond, que possuíam uma cabana. Enquanto morava com eles, London conheceu o cachorro dos irmãos (também chamado Jack). O cachorro era parte Collie e parte São Bernardo e o autor admitiu em uma carta aos irmãos, depois que seu livro foi publicado, que Buck foi baseado nele.

Buck foi criado em resposta a um cão mau
Em 1902, um ano antes de O Chamado da Floresta ser publicado, Jack London escreveu e publicou um conto chamado Diablo – A Dog, sobre um cachorro horrível que mata seu dono.

Em resposta a essa história, London queria escrever outro conto sobre um bom cachorro. London, no entanto, perdeu o controle do conto a ponto de ficar tão longo que ele teve que transformá-lo em romance. Este conto que virou romance é que daria origem ao filme atual.

Buck parecia mais ameaçador no livro
No romance, Buck deveria ser meio São Bernardo e meio Pastor Escocês. Ele é descrito como sendo particularmente grande e parecendo um pouco com um lobo. Mesmo tendo um bom coração, seu visual é bastante ameaçador.

No filme de 2020, no entanto, ele recebe mais um visual no estilo vira-lata e, embora não seja do tamanho de um chihuahua, ainda não é tão grande quanto foi descrito no livro.

Buck não é um Husky
Enquanto ele é descrito como grande e ligeiramente parecido com um lobo, Buck nunca foi imaginado para ser um Husky, apesar da popularidade da raça entre os treinadores de cães de trenó.

Buck sempre foi um vira-lata, embora grande, e a suposição de alguns de que ele deveria parecer um husky no filme é infundada. Tanto no livro como no filme, Buck sempre foi um cão mestiço.

O Buck do filme foi baseado no cachorro do diretor
Enquanto o Buck do livro foi baseado em um cachorro chamado Jack, que Jack London conhecia na vida real, o Buck no filme foi baseado em um cachorro diferente.

O diretor do filme, Chris Sanders, é dono de um cachorro chamado Buckley e o modelo CGI completo de Buck no filme foi baseado em uma digitalização digital dele, que foi adotado pelo diretor e sua família durante a produção.

A voz de Buck veio de um cachorro de verdade
Buckley, o cachorro adotado por Sanders, não foi apenas a base para o modelo CGI do Buck do filme. Na verdade, Buckley também forneceu grande parte da voz e efeitos sonoros do cão cinematográfico.

Para todos os efeitos, Buckley interpretou Buck no filme, estrelando ao lado de Harrison Ford. Ele teve a sorte de ir para casa e se aposentar com o diretor e sua família assim que a produção chegou ao fim.

Buck foi interpretado por um artista do Cirque Du Soleil
Enquanto Buckley, o cachorro adotado, ofereceu o design de Buck no filme e foi usado para muitas das “falas” do animal, no set Harrison Ford não atuou com Buckley ou qualquer outro animal vivo na maioria das cenas.

No entanto, Ford não estava contracenando sozinho. Em vez disso, o ator e performer do Cirque du Soleil Terry Notary atuou como Buck no set, e sua performance de captura de movimento foi posteriormente traduzida nos movimentos do Buck feito de CGI na tela.

O livro era originalmente narrado por Buck
Enquanto grande parte do filme de 2020 é narrado pelo personagem de Harrison Ford, John Thornton, o romance original de Jack London é narrado da perspectiva de Buck.

Obviamente, foi quase impossível traduzir a narração de Buck do romance para a tela e tornar o filme crível para um público moderno. No entanto, para os amantes de cães, o livro vai ainda mais fundo em que tipo de animal e personagem Buck realmente é.

Buck passou por muitos designs diferentes
Enquanto o cachorro adotado pelo diretor, Buckley, seria o design final para o personagem Buck no filme finalizado, o design original para Buck era bem diferente.

Os designs de como Buck deveria parecer em sua encarnação CGI originalmente se assemelhavam a um Bernese Mountain muito mais do que um vira-lata, Husky ou São Bernardo. Embora essa raça certamente corresponderia ao tamanho que Buck deveria ter no livro, não é uma combinação perfeita no que diz respeito à descrição de London. Com informações de Disney

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!