Secretário-geral da ONU alerta para oportunidades de crime criadas pela pandemia

GRNEWS nas Redes Sociais Facebook Twitter YouTubeWhatsApp WhatsApp

Começou no domingo (7) em Kyoto, no Japão, o 14º Congresso das Nações Unidas sobre Prevenção ao Crime e Justiça Criminal, que termina na próxima sexta-feira (12).

O evento, que aconteceu pela primeira vez em 1955, é realizado a cada cinco anos. O tema desse ano é “Promovendo a prevenção do crime, a justiça criminal e o Estado de Direito: rumo ao cumprimento da Agenda 2030”.

Encontro
Falando na abertura do encontro, de forma virtual, o secretário-geral da ONU disse que o Congresso tem servido “como o maior e mais diversificado encontro”, juntando governos, organizações internacionais e regionais, sociedade civil, especialistas e acadêmicos.

António Guterres lembrou a pandemia de Covid-19, dizendo que a ruptura causada pela crise de saúde está “criando novas oportunidades para os criminosos explorarem pessoas marginalizadas e em risco.”

O chefe da ONU disse que a comunidade internacional deve fazer escolhas importantes. Segundo ele, a recuperação da pandemia “apresenta uma oportunidade para abordar as graves injustiças e desigualdades que atormentam as sociedades há gerações.”

Desigualdade
Para Guterres, “altos níveis de desigualdade estão associados à instabilidade econômica, corrupção, crises financeiras, aumento da criminalidade e problemas de saúde física e mental.”

O secretário-geral destacou a importância da prevenção do crime, a justiça criminal e o Estado de Direito para manter o contrato social entre os Estados e suas populações. Segundo ele, “o respeito pelo Estado de Direito sustenta os direitos humanos e permite o desenvolvimento social, político e econômico sustentável.”

Guterres disse ainda que “as pessoas precisam de um sistema de justiça inclusivo que funcione para todos e seja intolerante com a discriminação.”

O chefe da ONU realçou a necessidade de restaurar a confiança nas instituições e fortalecer o Estado de Direito e o acesso à justiça.

Para ele, isso é importante para prevenir a corrupção, deter os fluxos financeiros ilícitos e proteger as pessoas do crime organizado, violência, tráfico, exploração online e radicalização.

Declaração
Durante o Congresso, os Estados-membros devem votar na Declaração de Kyoto, que foi endossada pela Comissão de Prevenção ao Crime e Justiça Criminal.

No documento, os Estados-membros reconhecem que o crime tem se tornado cada vez mais transnacional, organizado e complexo.

Os criminosos estão explorando tecnologias novas e emergentes para realizar suas atividades ilícitas, que incluem o crime cibernético. O ciberespaço criou um novo domínio para a propagação do crime.

Segundo Guterres, o Estado de Direito deve usar as novas tecnologias “para facilitar o acesso das pessoas à justiça e para lidar com essas tendências emergentes, incluindo a proliferação de desinformação e discurso de ódio.”

O secretário-geral destacou depois um grupo de respostas necessárias para fortalecer a prevenção ao crime e a justiça criminal.

Ele destacou estratégias abrangentes de prevenção ao crime para apoiar o desenvolvimento social e econômico, respostas integradas para fortalecer os sistemas de justiça criminal e um aumento da cooperação internacional e assistência técnica.

Segundo Guterres, o mundo deve usar este Congresso “para galvanizar a cooperação internacional para ajudar a pavimentar o caminho para um mundo de justiça e integridade.” Com ONU News

PUBLICIDADE
[wp_bannerize_pro id="valenoticias"]
Don`t copy text!